Nova galeria de fotos do ACNUR mostra dia a dia de família de refugiados congoleses

Conflito no leste da República Democrática do Congo (RDC) já fez com que mais de 220 mil civis se deslocassem internamente.

O pai de Sukuru, Baseme, com um dos filhos mais novos numa tenda comunitária onde a família morava desde que chegou a Mugunga III. Eles acabaram de mudar-se para a sua própria tenda. ©ACNUR/ F. NoySeis meses após o início, em abril de 2012, do intenso combate na região leste da República Democrática do Congo (RDC), os rebeldes do movimento M23 conseguiram capturar Goma, capital da província de Kivu do Norte.

O avanço rebelde obrigou dezenas de milhares de pessoas a deixarem suas casas. Elas se somaram aos mais de 220 mil civis deslocados em Kivu do Norte em virtude das primeiras ondas do combate, em abril.

Aos dez anos de idade, o menino Sukuru e sua família já estavam abrigados em Mugunga III, um campo para deslocados internos, quando Goma foi tomada em 20 de novembro. Meses antes, a família precisou deixar sua casa no território de Masisi, em Kivu do Norte, em busca de um lugar mais seguro. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) acompanhou o dia a dia da família no acampamento. Apesar dos percalços, Sukuru continua confiante no futuro.

A nova galeria de fotos – publicada pelo ACNUR em http://bit.ly/Uuv8W9 – mostra o cotidiano desta família de refugiados congoleses.