Nova cepa de gripe aviária ameaça setor avícola na Europa, adverte ONU

Ainda não há confirmações de que o H5N8 tenha infetado seres humanos, mas este vírus é diretamente relacionado com o H5N1, que, em 2005 e 2006, causou a morte de cerca de 400 pessoas e de centenas de milhões de aves.

Foto: Banco Mundial/Chhor Sokunthea

Foto: Banco Mundial/Chhor Sokunthea

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), alertou, nesta segunda-feira (24), que uma nova cepa de gripe aviária, detectada na Europa, representa uma ameaça para o setor avícola, especialmente nos países com menos recursos situados nas rotas migratórias de aves selvagens no Mar Negro e no Atlântico.

A FAO disse que a Alemanha, os Países Baixos e o Reino Unido confirmaram a existência de uma nova cepa do vírus da gripe aviária (H5N8) em granjas avícolas, e autoridades alemãs também encontraram o vírus em aves selvagens.

O fato de que o vírus tenha sido encontrado em três países europeus, em curtos intervalos de tempo, em aves selvagens e em três sistemas de produção de aves muito diferentes, sugere que as aves selvagens podem ter desempenhado um papel na propagação do vírus, acreditam especialistas da FAO e da Organização Mundial de Saúde Animal.

Ainda não há confirmações de que o H5N8 tenha, até agora, infetado seres humanos, diz a FAO. No entanto, este vírus é diretamente relacionado com o H5N1, que, em 2005 e 2006, se espalhou pela Ásia, Europa e África, causando a morte de cerca de 400 pessoas e de centenas de milhões de aves.