No RJ, Centro da ONU promove evento sobre políticas de proteção social contra tuberculose

Em comemoração do Dia Mundial da Tuberculose (24 de março), o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável do PNUD (Centro RIO+) realizará uma palestra pública da série ‘RIO+ Talk’ sobre ‘Microssimulações: Previsões do Impacto dos Programas de Transferência Condicionada de Renda na Tuberculose no Brasil’.

O evento, que conta com o apoio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vai explorar as microssimulações como um poderoso instrumento para a agenda de desenvolvimento sustentável e apresentará as conclusões de um estudo de microssimulação que simula o impacto do investimento contínuo do Programa Bolsa Família nas taxas de tuberculose.

Participarão do evento Romulo Paes de Sousa, diretor do Centro RIO+, e Davide Rasella, da Fiocruz. O encontro será nesta quarta-feira (23), das 16h às 17h30, no Centro de Inteligência Corporativa do IBGE (Av. Franklin Roosevelt, 146 – 10º andar, Centro – Rio de Janeiro). Inscreva-se em http://bit.ly/1RjIiiZ. Acesse o evento pelo Facebook em https://www.facebook.com/events/265399513791441.

A tuberculose é uma doença que atinge sobretudo pessoas em situação de pobreza e está ligada a serviços inadequados de saúde, má nutrição e condições precárias de vida. O Brasil obteve enorme sucesso em reduzir a pobreza através de programas de transferência condicionada de renda, o que foi também acompanhado por uma redução dos casos de tuberculose.

Esta microssimulação oferece uma previsão para os próximos 15 anos sobre a relação entre programas de transferência condicionada de renda e taxas de tuberculose em diferentes grupos populacionais.

RIO+ Talk: Revolução dos dados – novas ferramentas para o desenvolvimento sustentável

“A revolução dos dados está criando ferramentas poderosas para um futuro mais sustentável”, disse recentemente o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Grande parte do debate sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) tem ocorrido em torno dos indicatores para monitoramento, mas os mega dados (‘big data’) também podem ser mobilizados para simular o impacto de diferentes alternativas de políticas para reduzir a pobreza e a desigualdade.

O Brasil tem uma oportunidade única para contribuir para este debate global. O Cadastro Único é um banco de dados unificado que monitora as características de milhões de famílias de baixa renda, oferecendo a fundação para avaliações detalhadas do impacto socioeconômico de políticas públicas. Atualmente, o Cadastro Único reúne dados de aproximadamente 27,2 milhões de famílias de baixa renda no país.

Sobre os palestrantes

Davide Rasella é pesquisador de pós-doutorado em epidemiologia e Wellcome Trust Fellow no Instituto Fiocruz e na London School of Hygiene and Tropical Medicine (Reino Unido). É professor no Instituto de Saúde Coletiva em Salvador, aonde conduz diversas avaliações de impacto de politicas públicas no Brasil. Foi consultor da Organização Mundial de Saúde em monitoramento de determinantes sociais para a saúde no Brasil, e para o PNUD em previsão de impactos de politicas sociais no Brasil. Possui doutorado em saúde pública (ISC-UFBA), pós-graduação em medicina tropical (ITM, Bélgica) e mestrado em biotecnologias (UNIMI, Itália). Antes de seguir a carreira acadêmica, trabalhou em diversos países africanos como epidemiologista e nutricionista em regiões de extrema pobreza, e em emergências humanitárias.

Rômulo Paes de Sousa é o diretor do Centro RIO+ para o Desenvolvimento Sustentável. Foi vice-ministro no Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Trabalhou como pesquisador em instituições como Institute of Development Studies (IDS), London School of Hygiene and Tropical Medicine (LSHTM), Fiocruz e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Rômulo Paes é um epidemiologista especializado em desigualdades no campo da saúde e avaliação de políticas públicas, com doutorado pela LSHTM.