No Rio, seminário global discute prevenção de incêndios na gestão do patrimônio cultural

Especialistas nacionais e internacionais em gestão do patrimônio cultural e em avaliação de riscos patrimoniais reúnem-se no Rio de Janeiro (RJ), em 26 e 27 de junho, para discutir formas de prevenir e combater incêndios em instituições culturais.

O seminário internacional ‘Patrimônio em chamas: gestão do risco de incêndios para o patrimônio cultural’ conta com a parceria e a participação da UNESCO no Brasil.

Fachada do Museu Nacional do Rio de Janeiro, interditado após o incêndio do último domingo. Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo

Fachada do Museu Nacional do Rio de Janeiro, interditado após o incêndio do último domingo. Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo

Especialistas nacionais e internacionais em gestão do patrimônio cultural e em avaliação de riscos patrimoniais reúnem-se no Rio de Janeiro (RJ), em 26 e 27 de junho, para discutir formas de prevenir e combater incêndios em instituições culturais. O seminário internacional Patrimônio em chamas: gestão do risco de incêndios para o patrimônio cultural conta com a parceria e a participação da UNESCO no Brasil.

A programação traz debates e palestras que acontecem no Museu Histórico Nacional, no Museu Nacional e no Museu de Arte do Rio (MAR). O evento também prevê uma visita ao Museu Nacional para que os participantes vejam as ações em curso para a sua reconstrução. Em setembro último, a instituição foi atingida por um incêndio que destruiu grande parte do acervo e do interior do estabelecimento cultural e científico.

Com a tragédia, o museu brasileiro entrou para uma lista de tantas outras instituições e edifícios que preservam ou constituem patrimônios culturais e que foram palco de incêndios devastadores. São os casos da Escola de Artes de Glasgow (Reino Unido, 2014 e 2018), do Museu da Língua Portuguesa de São Paulo (Brasil, 2015), do Museu Nacional de História Natural da Índia (2016), da Catedral Saint Sava de Nova Iorque (EUA, 2016), do Museu Marítimo de Jacarta (Indonésia, 2018) e, mais recentemente, da Catedral de Notre-Dame (França, 2019). Nesses episódios, o patrimônio material foi danificado ou, em alguns casos, completamente perdido.

A precaução e o combate a esses acidentes são de suma importância quando se trata de patrimônios históricos e culturais, pois as peças dos acervos são quase sempre únicas.

A criação de novas legislações e políticas de prevenção, a implementação de novos procedimentos de manutenção e segurança, além do incentivo ao uso de tecnologias inovadoras na luta contra incêndios, tornam-se indispensáveis para lidar com os desafios contemporâneos de gestão do patrimônio. Essas e outras práticas para mitigar os riscos de destruição estão entre os temas do seminário internacional.

O encontro reunirá especialistas de diferentes áreas e disciplinas. Foram convidados gestores e autoridades de patrimônio, especialistas em seguros, avaliadores de risco patrimonial, engenheiros de incêndio, especialistas em legislação contra incêndios, chefes de bombeiros, conservadores e socorristas.

O evento é voltado para diretores, educadores e profissionais de museus e patrimônio, autoridades e gestores da área de patrimônio, agências nacionais de proteção contra incêndios e tomadores de decisão.

O seminário é organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM Brasil) e pelo Centro Internacional de Estudos para a Conservação e Restauro de Bens Culturais (ICCROM).

A série de conferências contam com as parcerias do British Council, do Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Representação da UNESCO no Brasil e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Tem também o apoio da Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil, do Instituto Sprinkler Brasil, do Conselho do Patrimônio Cultural Sueco e da Embaixada do Canadá.

Veja a programação completa clicando aqui.