No Rio, seminário debate energia sustentável e cumprimento do Acordo de Paris

A empresa de energia FURNAS sediou, na última segunda-feira (17), um seminário para debater a geração de energia de olho no cumprimento do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O evento, organizado pela empresa e pelo Programa das Nações Unidas sobre Desenvolvimento (PNUD), discutiu os principais avanços e desafios do setor energético, com foco no cumprimento da Agenda 2030.

Durante o evento foi lançado o “Glossário de Termos do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7: Energia limpa e acessível”, produzido pelo Grupo Assessor da ONU Brasil para a Agenda 2030.

A empresa de energia FURNAS sediou, na última segunda-feira (17), um seminário para debater a geração de energia de olho no cumprimento do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O evento, organizado pela empresa e pelo Programa das Nações Unidas sobre Desenvolvimento (PNUD), discutiu os principais avanços e desafios do setor energético, com foco no cumprimento da Agenda 2030 e dos 17 ODS.

O diretor de Finanças de FURNAS, Jenner Guimarães do Rêgo, e o coordenador-residente do Sistema ONU e representante do PNUD Brasil, Niky Fabiancic, abriram o seminário. Rêgo afirmou que FURNAS investe para aumentar a participação de fontes renováveis, como as energias eólica e solar, na matriz energética do Brasil, além de desenvolver projetos inovadores.

A primeira usina termoquímica de geração de energia a partir de resíduos sólidos, em construção no interior de Minas Gerais; os ônibus elétricos e híbridos a hidrogênio e etanol; e uma usina que aproveita a energia das ondas do mar estão entre eles.

Ele também ressaltou que o compromisso da companhia vai além da geração e transmissão de energia. “Contribuímos com a erradicação da fome, geração de oportunidades de emprego e renda e com a equidade de gênero”, explicou.

Já Fabiancic anunciou o lançamento do “Glossário de Termos do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7: Energia limpa e acessível”. O documento, produzido pelo Grupo Assessor da ONU para a Agenda 2030, com o apoio de FURNAS, busca, segundo o representante do PNUD no Brasil, “uma discussão mais aprofundada da relação produção versus consumo de energia e pretende servir de subsídio para o debate sobre políticas públicas, de forma neutra, entre instituições e indivíduos”.

“Espero que a cooperação entre o Brasil e outros países, não apenas do sul global, seja cada vez mais ampliada para que os países desse bloco busquem ampliar a oferta de energia renovável de suas matrizes”, disse Fabiancic durante o encontro.

Dois painéis de discussão reuniram especialistas durante o evento. Saiba mais sobre o encontro clicando aqui.

Para fazer o download do “Glossário do ODS 7”, clique aqui.