No Rio, exposição do ACNUR mostra que refugiados se sentem em casa no Brasil

O Centro Cultural Correios recebe a exposição imersiva “Em casa, no Brasil”, que permite ao público visitar uma unidade habitacional para campos de refugiados e conhecer o depoimento de 13 pessoas refugiadas de nove países que vivem no Brasil e aqui se sentem em casa. Inauguração da mostra acontece na próxima quarta-feira (26), às 18h30.

Entre os depoimentos da exposição “Em casa, no Brasil”, estão histórias de refugiados do Afeganistão, Irã, Síria e Nigéria. Foto: ACNUR/Estou Refugiado

Entre os depoimentos da exposição “Em casa, no Brasil”, estão histórias de refugiados do Afeganistão, Irã, Síria e Nigéria. Foto: ACNUR/Estou Refugiado

O Dia Mundial do Refugiado, celebrado em 20 de junho, terá um componente especial na cidade do Rio de Janeiro. Trata-se da exposição imersiva “Em casa, no Brasil”, que permite ao público visitar uma unidade habitacional para campos de refugiados e conhecer o depoimento de 13 pessoas refugiadas de nove países que vivem no Brasil e aqui se sentem em casa. Inauguração da mostra acontece na próxima quarta-feira (26) no Centro Cultural Correios, às 18h30.

Ao responderem “o que te faz sentir em casa, estando longe de sua casa?”, as narrativas abordam as memórias destas pessoas sobre seus lares no Afeganistão, Colômbia, Cuba, Irã, Moçambique, Nigéria, República Democrática do Congo, Síria e Venezuela. Suas trajetórias de vida e suas lembranças formam os depoimentos, nos quais os refugiados explicam a razão pela qual se sentem em casa no Brasil.

Palavras como “paz”, “segurança”, “prosperidade” e “liberdade” são recorrentes, embora cada história traga diferentes traços culturais e características singulares que vão emocionar os visitantes.

A abertura da exposição acontece no dia 26 de junho, no Centro Cultural Correios, às 18h30. A inauguração da mostra contará com coffee break de cozinha libanesa oferecido pela El Warrack. Para participar do evento, é necessário se inscrever por meio do seguinte formulário: http://bit.ly/emcasanobrasilrj.

A Unidade de Habitação para Refugiados (conhecida pela sigla RHU, em inglês) que integra a exposição é uma estrutura utilizada pelo ACNUR em contextos de emergência humanitária. Trata-se de um abrigo autônomo, sustentável e duradouro, concebido através de uma colaboração entre o ACNUR, a empresa social Better Shelter e a Fundação IKEA.

As RHUs são uma solução inovadora de abrigamento, composta com estrutura de aço leve, energia solar para carregar as lâmpadas e celulares, além de um inovador sistema de ancoragem e adaptação a diferentes condições climáticas.

Cada RHU foi concebida para abrigar cinco pessoas (respeitando-se o padrão internacional de 3,5 metros quadrados por pessoa). Essas unidades de habitação estão presentes atualmente em seis abrigos temporários geridos pelo ACNUR e parceiros em Boa Vista (Rondon 1, Rondon 2, Rondon 3, Jardim Floresta, Nova Canaã e São Vicente), com aproximadamente 600 RHUs instaladas.

O conteúdo da exposição foi concebido pela ONG Estou Refugiado, parceira do ACNUR que atua para facilitar a empregabilidade de pessoas refugiadas no Brasil. No Rio de Janeiro, a exposição tem o apoio institucional do Centro de Informação da ONU para o Brasil (UNIC Rio), do Centro Cultural Correios, do SESC Rio e da empresa JadLog, responsável pelo transporte da exposição.

Serviço:
Exposição “Em casa, no Brasil” no Rio de Janeiro (RJ)
Inauguração
Local: Centro Cultural Correios — Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro
Data: 26 de junho, às 18h30

Para mais informações, visite a página www.acnur.org/portugues/em-casa-no-brasil

Para informações à imprensa, entre em contato com:
Agência da ONU para Refugiados (ACNUR)
Luiz Fernando Godinho e Miguel Pachioni
(61) 3044-5744 / (61) 98187-0978
brabrpi@unhcr.org
www.acnur.org.br


Comente

comentários