No Rio, cineastas enfrentam a pandemia rodando filme sem encontros presenciais

“Solidãoriedade”. É da palavra inventada, na solidão da solidariedade, que o diretor e roteirista de audiovisual Bebeto Abrantes tira energia para enfrentar o distanciamento social. É também na vivência da solidão com solidariedade que ele encontra a criatividade para continuar trabalhando em meio à pandemia da COVID-19.

Em função da idade e algumas limitações de saúde, Bebeto teve que reinventar a rotina que enfrenta em isolamento total há mais de quarenta dias num apartamento no Rio de Janeiro (RJ). Os filhos, de 16 e 20 anos, estavam no turno da guarda compartilhada com a mãe e ele – considerado de grupo de risco pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – acabou ficando sozinho.

Além de fazer exercícios e ministrar aulas online na Academia Internacional de Cinema, Bebeto teve a ideia de fazer um “filme processo” da rigorosa quarentena que o novo coronavírus impôs aos moradores da capital fluminense. A expressão “filme processo” descreve a trajetória de um documentário em construção e que, por enquanto, só se sabe o começo.

Bebeto convidou Cavi Borges, dono da maior produtora independente do Rio – a Cavídeo, com 66 longas e mais de uma centena de curtas -, para o projeto Me Cuidem-se! . “Na sexta-feira, dia 21 de março de 2020, peguei o telefone e liguei pro Cavi. No sábado e no domingo a gente escolheu dez personagens, seguindo critério das diversidades de gênero, social e etária. Três dias depois a gente começou a receber os materiais”, relata o diretor e roteirista do projeto.

Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Bebeto conta que a primeira parte do filme reúne pessoas da zona sul do Rio e também do morro Santa Marta, do Complexo da Maré e de São Gonçalo. Eles mostram como estão se adaptando à nova rotina de isolamento social. Depois de compor o elenco, a única orientação foi pedir o material gravado na horizontal e enviado imediatamente por aplicativo de celular.

“É um filme de urgência e enviamos tudo para a edição de Wellington Anjos. Optamos por sermos surpreendidos, mas precisamos receber o material rapidamente”, explica.

O resultado final de Me Cuidem-se! ainda é uma surpresa para todos os envolvidos. Bebeto conta que o modelo de produção é totalmente inovador porque não houve nem haverá nenhum encontro presencial entre o elenco e a equipe. Duas partes do projeto, que deve resultar num longa metragem, já foram editadas e disponibilizadas em plataformas digitais. No segundo curta já editado, alguns personagens enfrentam dificuldades financeiras em função do isolamento.

Para Bebeto, o conceito de autoria do audiovisual acaba se renovando no filme colaborativo e de compartilhamento. “Estou procurando reinventar tudo o que aprendi, aceitando contribuições de todos e contrariando o processo normal de criação”, explica o cineasta. E conclui: “Glauber Rocha dizia que a montagem do filme é muito racional e tira a crueza da imagem. Então é o que vou praticar, a crueza da imagem”.

No projeto, os roteiristas e diretores devem acabar se tornando também personagens do filme. Calculando uma quarentena de dois meses e meio, a dupla estima ter um curta metragem a cada 15 dias, num total de 5 curtas, que depois serão transformados no longa-metragem.

Cultura – A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) reconhece que a pandemia do novo coronavírus provocou o fechamento de patrimônios históricos, museus, teatros e cinemas, comprometendo o apoio financeiro a artistas e indústrias criativas. Por conta disso, a UNESCO lançou iniciativas para apoiar as indústrias culturais e o patrimônio cultural, como uma exposição virtual de propriedades patrimoniais e as campanhas digitais #CompartilheCultura e #CompartilheNossoPatrimônio.

“Agora, mais do que nunca, as pessoas precisam de cultura”, disse Ernesto Ottone R., diretor-geral adjunto para Cultura da UNESCO. “A cultura nos torna resilientes. Isso nos dá esperança. Ela nos lembra que não estamos sozinhos”.

Assista abaixo aos  curtas já finalizados do Me Cuidem-se!