No primeiro dia de trabalho, novo chefe da ONU cita multilateralismo e trabalho em equipe

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“É muito importante para nós reconhecermos nossas conquistas […], mas precisamos também reconhecer nossas falhas, reconhecer nossos fracassos e onde não somos capazes de cumprir nossas funções como deveríamos”, disse António Guterres a funcionários em Nova York em seu primeiro dia de trabalho.

No seu primeiro dia de trabalho, António Guterres, o novo secretário-geral das Nações Unidas, fala aos funcionários da Organização na sede em Nova York. Foto: ONU

No seu primeiro dia de trabalho, António Guterres, o novo secretário-geral das Nações Unidas, fala aos funcionários da Organização na sede em Nova York. Foto: ONU

No seu primeiro dia de trabalho, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou para o trabalho em equipe, dizendo a funcionários na sede de Nova York que não basta “fazer a coisa certa, temos de conquistar o direito de fazer a coisa certa”.

“É muito importante para nós reconhecermos nossas conquistas […], mas também precisamos reconhecer nossas falhas, reconhecer nossos fracassos e onde não somos capazes de cumprir nossas funções como deveríamos”, disse Guterres nessa terça-feira (3).

Ele destacou a multiplicidade de desafios globais – desde conflitos complexos até o terrorismo global.

Guterres pediu a toda a Organização um esforço coletivo para resolver as deficiências e sublinhou a necessidade de reformar o sistema de desenvolvimento da ONU, bem como lidar com restrições burocráticas que dificultam sua atuação. Ele destacou que o organismo mundial deve tentar e livrar-se de sua “camisa burocrática apertada”.

“Não há milagres […] e a única maneira de alcançar nossos objetivos é trabalhar em equipe”, disse ele.

Em suas observações, o chefe da ONU também lembrou o processo de seleção que culminou com a Assembleia Geral da ONU o nomeando como o nono chefe do organismo global, em outubro do ano passado. “Sei que a forma como este processo de seleção foi desenvolvido tem levantado um monte de expectativas”, observou.

“Isso requer muitos esforços de nós mesmos, mas também muito diálogo com os Estados-membros da ONU para superar as divisões que ainda existem na Organização”, acrescentou.

Pouco depois de tomar posse, há dois dias, ele fez um apelo à paz. “Façamos de 2017 um ano em que todos nós – cidadãos, governos, líderes – nos esforçamos para superar nossas diferenças”, disse Guterres na manhã de domingo (1), pedindo que as pessoas compartilhem sua resolução de ano novo: “Vamos colocar a paz em primeiro lugar”.

Ele atuará por um período de cinco anos, até 31 de dezembro de 2021. António Guterres foi primeiro-ministro de Portugal de 1995 a 2002 e alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados de junho de 2005 a dezembro de 2015. Ele sucede Ban Ki-moon, que atuou como secretário-geral de janeiro de 2007 a dezembro de 2016.

No seu primeiro dia em seu gabinete na sede da ONU, ele teve encontros com presidentes dos principais órgãos, como Assembleia Geral e Conselho de Segurança.


Comente

comentários