No Dia Mundial da Meteorologia, ONU pede superação de desafios do clima para salvar vidas

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou para o impacto crescente das condições meteorológicas e mudanças climáticas extremas no planeta e no bem-estar humano.

Vista aérea da neve desaparecendo no Monte Kilimanjaro. Foto: ONU/Mark Garten

Vista aérea da neve desaparecendo no Monte Kilimanjaro. Foto: ONU/Mark Garten

Marcando o Dia Mundial da Meteorologia, nesta segunda-feira (23), o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu que os desafios climáticos sejam superados, em meio ao impacto crescente das condições meteorológicas e mudanças climáticas extremas no planeta e no bem-estar humano.

“Ao longo das últimas três décadas, inundações, tempestades, secas e queimadas florestais fizeram um número considerável de vítimas e causaram perdas econômicas massivas”, disse ele em uma mensagem para a data, observando que a devastação causada pelo furacão Pam em Vanuatu é apenas o exemplo mais recente dos efeitos desastrosos que podem produzir eventos climáticos extremos.

Segundo ele, mitigar a mudança climática e adaptar-se é um dos grandes desafios do nosso tempo. “Para enfrentar este desafio, temos que ter informações confiáveis e oportunas para tomar decisões e medidas adequadas e comunicá-las aos que mais precisam delas, de uma forma acessível e útil”, acrescentou o chefe das Nações Unidas.

Ao longo dos últimos 12 meses, milhares de vidas foram salvas na Índia, nas Filipinas e em outros lugares, graças a uma melhor previsão do tempo, de sistemas de alerta precoce e de planos de evacuação.

Os produtos e serviços de informação baseados em previsões climáticas podem ajudar a construir a resiliência às mudanças climáticas. Este é o objetivo do Quadro Global dos serviços climatológicos, criada por iniciativa da Organização Meteorológica Mundial (OMM), em colaboração com outros parceiros da ONU. Seu objetivo é facilitar o uso da informação do clima para reduzir os riscos de desastres, promover a segurança alimentar e da água e proteger a saúde pública.

Na semana passada, a cidade de Sendai, no Japão, foi sede da Terceira Conferência das Nações Unidas sobre a Redução dos Riscos de Desastres. Em julho, a comunidade internacional se reunirá novamente em Adis Abeba, na Etiópia, para discutir a questão do financiamento para o desenvolvimento.

Os líderes realizarão uma cúpula em Nova York, em setembro, a fim de adotar um novo programa de desenvolvimento que compreende um conjunto de metas de desenvolvimento sustentável. Além disso, a comunidade internacional pretende chegar a um acordo universal sobre o clima em Paris, em dezembro deste ano.

“Armado com nosso conhecimento, nós somos capazes de superar os desafios climáticos e criar sociedades mais prósperas e seguras para todos”, concluiu o secretário-geral.