No Dia Mundial da Meteorologia, ONU convoca jovens para debate sobre mudanças climáticas

Buscando conscientizar e mobilizar as populações jovens sobre o clima global, organização faz apelo para que mais jovens se tornem meteorologistas.

Jovens inspecionam camada de gelo em Genebra, Suíça. Foto: OMM/Elena Manaenkova

Jovens inspecionam camada de gelo em Genebra, Suíça. Foto: OMM/Elena Manaenkova

Poucos sabem, mas o dia 23 de março é celebrado pelas Nações Unidas como o Dia Mundial da Meteorologia, uma área cada vez mais vital para a segurança e o bem-estar das sociedades – especialmente em um cenário de inconstância climática e grandes calamidades naturais.

Aproveitando o tema deste ano, “Tempo e Clima: Buscando a Juventude”, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) ressaltou que a juventude colherá os maiores benefícios dos avanços na habilidade de entender e prever o tempo, visto que boa parte dela é que experimentará os impactos das mudanças climáticas na segunda metade do século.

“As temperaturas da atmosfera e dos oceanos não param de crescer, as calotas de gelo em todo o mundo estão diminuindo e os eventos climáticos extremos se tornam mais frequentes e/ou intensos”, disse Michel Jarraud, secretário-geral da OMM. “Ainda que os desafios para a próxima geração sejam enormes, as oportunidades para sua solução nunca foram tão boas.”

Recrutando mentes

A fim de ampliar a compreensão sobre clima, a OMM alterou a data de seu programa para juventude para coincidir com as celebrações do Dia da Meteorologia. Já disponível em inglês, francês, chinês e espanhol,o programa também está sendo traduzido para árabe e russo.

Adicionalmente, a organização atualizou seu livro “Uma Carreira em Meteorologia” (indisponível em português; clique aqui para ler a versão em espanhol) para encorajar as novas gerações a seguirem esta variada e desafiadora profissão.

“A juventude representa a maioria da população em muitos países”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em mensagem de vídeo. “É necessário assegurar que os jovens estejam prontos para as economias verdes. Devemos todos nos lembrar de que há sempre um Plano B, mas nunca um Planeta B”, concluiu.