No Dia das Mães, ONU Mulheres e Botafogo homenageiam brasileiras que criam os filhos sozinhas

Em jogo contra o Fluminense no último sábado (11), no Rio de Janeiro (RJ), o Botafogo entrou em campo com um cartaz em que a estrela icônica do seu emblema havia desaparecido. O sumiço de um dos símbolos alvinegros foi intencional. O objetivo do clube carioca era homenagear outras “estrelas solitárias” — as 11,6 milhões de mães solteiras no Brasil que têm de criar seus filhos sozinhas.

Realizada na véspera do Dia das Mães, a ação de conscientização foi fruto de uma parceria com a ONU Mulheres.

Ação do Botafogo homenageou as 11,6 milhões de brasileiras que criam seus filhos sozinhas. Foto: Botafogo/Vitor Silva

Ação do Botafogo homenageou as 11,6 milhões de brasileiras que criam seus filhos sozinhas. Foto: Botafogo/Vitor Silva

Em jogo contra o Fluminense no último sábado (11), no Rio de Janeiro (RJ), o Botafogo entrou em campo com um cartaz em que a estrela icônica do seu emblema havia desaparecido. O sumiço de um dos símbolos alvinegros foi intencional. O objetivo do clube carioca era homenagear outras “estrelas solitárias” — as 11,6 milhões de mães solteiras no Brasil que têm de criar seus filhos sozinhas.

Realizada na véspera do Dia das Mães, a ação de conscientização foi fruto de uma parceria com a ONU Mulheres. Com a estratégia, o Botafogo apoiou o movimento ElesPorElas (HeForShe, em inglês), uma iniciativa da agência das Nações Unidas para mobilizar homens e meninos pelo fim das desigualdades de gênero e em prol dos direitos das mulheres e meninas.

“A estrela solitária saiu do escudo para lembrar de outras: as 11,6 milhões de mulheres que criam seus filhos sozinhas. Estamos com elas. Feliz Dia das Mães”, lia-se no cartaz que o Botafogo levou para os gramados do Maracanã.

Segundo a representante interina da ONU Mulheres no Brasil, Ana Carolina Querino, a iniciativa foi “um chamamento público para que os homens assumam a sua responsabilidade como pais e cuidadores, fazendo defesa para o fim da ausência dos homens na sua condição de pais”.

O presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej, afirmou que o “Botafogo faz questão de usar a força da instituição para dar luz a essa importante causa”.

“Essa ação é a forma que encontramos para homenagear as mães nesse dia especial. O futebol é dominado por exemplos de mães solitárias que lideram famílias com muito sacrifício. A nossa campanha vem para ajudar a romper as barreiras existentes”, completou o gestor.

Nas redes sociais, o lance do Botafogo ganhou o apoio da atriz Taís Araújo, que é também defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres.

A artista afirmou que as mães solteiras “concentram responsabilidades familiares e cobranças sociais”. “Nesse Dia das Mães, vamos lembrar dessas estrelas”, completou Taís em tweet que compartilhava a campanha do time alvinegro.


Comente

comentários