No Canadá, Ban Ki-moon elogia compromisso do país em reassentar 25 mil refugiados sírios

Durante sua visita ao país – sua quinta como secretário-geral da ONU –, Ban um centro de acolhimento de refugiados e migrantes. “Eles merecem oportunidades, proteção dos direitos humanos e paz”, disse.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, visita o Centro Católico para imigrantes em Ottawa e reúne-se com famílias de refugiados sírios recém-chegados, que agora fazem parte do programa de reassentamento do Canadá. Foto: ONU/Evan Schneider

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, visita o Centro Católico para imigrantes em Ottawa e reúne-se com famílias de refugiados sírios recém-chegados, que agora fazem parte do programa de reassentamento do Canadá. Foto: ONU/Evan Schneider

Durante a sua quinta visita ao Canadá como secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon elogiou o compromisso do país para o reassentamento de 25 mil refugiados sírios, destacando que eles “merecem oportunidades, proteção dos direitos humanos e paz”.

“Embora a minha visita ao Canadá dure apenas três dias, estamos planejando reforçar a nossa colaboração para os próximos anos”, disse Ban Ki-moon aos jornalistas numa coletiva de imprensa em Ottawa.

“O clima aqui é muito frio, mas as relações entre as Nações Unidas e o Canadá são muito, muito quentes”, acrescentou. “Desde que a ONU foi fundada, o Canadá tem sido um dos nossos parceiros mais importantes.”

O chefe da ONU disse que ele e o primeiro-ministro Trudeau tiveram um diálogo muito construtivo sobre uma série de questões importantes. “Falamos sobre a mudança climática, a manutenção da paz, o desenvolvimento sustentável, bem como a situação dos migrantes e refugiados. Nós também falamos sobre questões sensíveis globais, incluindo a Síria”, disse ele.

Enquanto isso, Ban lembrou que na conferência sobre o clima (COP21), em dezembro passado, a liderança do primeiro-ministro Trudeau ajudou a ONU a promover o avanço que precisava para o histórico Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Agora precisamos que o Canadá coloque o acordo em ação e ajude a manter o resto do mundo no caminho certo”, disse ele, observando que convidou o primeiro-ministro a participar da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris em Nova York, no dia 22 de abril – mesmo data do Dia da Mãe Terra.

Ele também elogiou o líder canadense por seu compromisso em abordar as recomendações das Nações Unidas acerca dos povos indígenas no Canadá, em especial a violência contra mulheres e meninas indígenas.

Ban Ki-moon visitou o Centro Católico para Imigrantes para encontrar refugiados e migrantes, assim como tem feito em muitos países pelo mundo.