No Brasil, chefe da UNESCO destaca importância das mulheres para melhorar gestão da água no mundo

A voz das mulheres é indispensável para abordar a questão da melhor gestão e uso da água no mundo, na avaliação da diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, presente na abertura do Fórum Mundial da Água nesta segunda-feira (19) em Brasília (DF).

“Trata-se de questão na qual a voz das mulheres se faz indispensável, desempenham papel central no provimento, gestão e abastecimento da água”, disse Audrey, lembrando que as mulheres do mundo, somadas, gastam mais de 200 milhões de horas por dia buscando água.

Devido a papéis tradicionais de gênero, em muitas comunidades com difícil acesso à água as mulheres são responsáveis por sua coleta em diferentes lugares do mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A voz das mulheres é indispensável para abordar a questão da melhor gestão e uso da água no mundo, na avaliação da diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, presente na abertura do Fórum Mundial da Água nesta segunda-feira (19) em Brasília (DF).

“Trata-se de questão na qual a voz das mulheres se faz indispensável, desempenha papel central no provimento, gestão e abastecimento da água”, disse Audrey.

“No mundo, mulheres e crianças gastam aproximadamente 200 milhões de horas buscando água, tempo que poderia ser mais bem investido em educação. Os riscos são altos, mas o futuro depende das ações que fizermos hoje em relação ao uso da água”, disse.

Devido a papéis tradicionais de gênero, em muitas comunidades com difícil acesso à água as mulheres são responsáveis por sua coleta em diferentes lugares do mundo.

“Somos custodiantes do frágil ecossistema do planeta. É nossa responsabilidade coletiva defender o direito humano ao acesso à água e saneamento para as próximas gerações”, declarou Audrey.

Onze chefes de Estado e de governo participaram na sede do Ministério de Relações Exteriores da abertura do Fórum Mundial da Água, que ocorre até sexta-feira (23) na capital brasileira.

Na ocasião, o presidente brasileiro, Michel Temer, lembrou que há 2 bilhões de pessoas no mundo que não têm acesso a fontes seguras de água, enquanto outras 2 bilhões não têm saneamento básico. Mais de 260 milhões precisam andar mais de meia hora para coletar água, lembrou.

“Não temos tanto tempo a perder. Ninguém ignora que o acesso a água e saneamento está ligado à nossa capacidade de crescer de forma sustentável. Já não pode haver dúvida, em nome do acesso à água, em nome do futuro, que precisamos buscar o desenvolvimento sustentável em todas as suas vertentes”, declarou.

“O consenso é esse, a vida na Terra estará ameaçada se não respeitarmos os limites da natureza. O compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) é histórico”, salientou. “Estamos firmemente empenhados em implementar a Agenda 2030.”

Temer disse ainda que a segurança hídrica é cerne das políticas públicas brasileiras. “Para preservar cursos d’água, implementamos o Programa Plantadores de Rios, que usa ferramentas digitais para defender nascentes e áreas de proteção permanente”, declarou.

“Na semana passada, lançamos um processo de captação de recursos para proteção de nascentes de duas bacias hidrográficas brasileiras, a do rio São Francisco e do rio Parnaíba”, afirmou. “E estamos criando duas áreas de conservação da biodiversidade marinha”, completou Temer, lembrando que o governo federal está preparando projeto de lei para “modernizar o marco regulatório do saneamento básico e incentivar novos investimentos.”

Organizado a cada três anos, o Fórum Mundial da Água é o principal encontro global em que a comunidade de profissionais do setor hídrico e os formuladores de políticas trabalham para estabelecer os planos de ação de longo prazo sobre os desafios relacionados à água. Com mais de 150 países representados, o fórum visa aumentar a conscientização e reforçar o compromisso político com relação ao uso e à gestão da água.

Além do Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, este ano acontece a abertura da Década Internacional de Ação “Água para o Desenvolvimento Sustentável” (22 de março de 2018 a 22 de março de 2028). A Década visa fortalecer a cooperação e a mobilização internacionais, a fim de contribuir para a realização dos ODS.