No aniversário do bombardeio de Hiroshima, ONU pede esforços para o desarmamento nuclear

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“Nosso sonho de um de um mundo livre de armas nucleares continua longe da realidade”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no 72º aniversário do bombardeio de Hiroshima, no domingo (6).

Memorial da Paz de Hiroshima. Foto: UNESCO/G. Boccardi

Memorial da Paz de Hiroshima. Foto: UNESCO/G. Boccardi

Diante da presença de cerca de 15 mil armas nucleares na Terra, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu no domingo (6) que todos os Estados intensifiquem seus esforços na busca compartilhada por um mundo livre de armas nucleares.

“Nosso sonho de um de um mundo livre de armas nucleares continua longe da realidade”, disse Guterres em mensagem entregue ao alto representante da ONU para assuntos de desarmamento, Izumi Nakamitsu, durante memorial realizado em Hiroshima, no Japão, para as vítimas do ataque nuclear ocorrido nesta mesma data em 1945.

“Os Estados que possuem armas nucleares têm uma responsabilidade especial de assumir passos concretos e irreversíveis no desarmamento nuclear”, ressaltou Guterres, alertando para os discursos perigosos em torno do uso de armas nucleares.

Ele afirmou que o mundo admira Hiroshima, considerando que a cidade foi reconstruída pela “resiliência e esperança” depois do trágico evento há 72 anos. “Sua determinação pela paz é uma inspiração para o mundo”, declarou Guterres.

Com observação positiva, ele destacou um grande avanço em 2017, particularmente, a adoção no mês passado do tratado sobre a proibição de armas nucleares pelos Estados-membros da ONU.

O documento foi resultado de uma campanha global focada na posição inaceitável e incondicional do uso de armas nucleares, observou o secretário-geral, reconhecendo a inestimável contribuição da mensagem de paz de Hiroshima e os esforços heroicos de hibakushas (expressão japonesa usada para se referir aos sobreviventes das bombas atômicas).

“Eles lembraram o mundo das devastadoras consequências humanitárias das armas nucleares”, disse Guterres, expressando o apoio da ONU para um esforço global em busca do desarmamento nuclear.


Comente

comentários