Niterói recebe mostra fotográfica da ONU sobre refúgio

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em Niterói, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) inaugura na próxima quinta-feira (15), no Espaço Cultural Correios, a mostra fotográfica “Faces do Refúgio”. Composta por 52 imagens, a exposição aborda as principais crises de migração forçada da atualidade, em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar.

No fim de 2013, grupos armados mataram civis, saquearam casas e queimaram vilarejos em diferentes partes da República Centro-Africana. O contexto nacional ainda é tenso. Foto: ACNUR/Boris Heger

No fim de 2013, grupos armados mataram civis, saquearam casas e queimaram vilarejos em diferentes partes da República Centro-Africana. O contexto nacional ainda é tenso. Foto: ACNUR/Boris Heger

Em Niterói, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) inaugura na próxima quinta-feira (15), no Espaço Cultural Correios, a mostra fotográfica “Faces do Refúgio”. Composta por 52 imagens, a exposição aborda as principais crises de migração forçada da atualidade, em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar.

As fotografias trazem histórias de crianças, homens e mulheres que enfrentaram graves violações de direitos humanos e buscam uma oportunidade de reconstruir suas vidas. A curadoria da exposição é fruto de uma parceria entre o organismo das Nações Unidas e o Atelier Vanessa Poitena.

“Os refugiados são como eu e você. A grande diferença é que essas pessoas se veem, do dia para a noite, obrigadas a deixar tudo para trás por uma questão de sobrevivência. O refúgio não é uma escolha. Pessoas deixam tudo para trás para salvar suas vidas”, afirma Natasha Alexander, chefe da unidade de parcerias com o setor privado do ACNUR.

“A exposição é uma ferramenta de conscientização para que as pessoas conheçam um pouco mais sobre essa realidade”, completa.

Dados da agência da ONU indicam que mais de 68 milhões de pessoas no mundo vivem fora dos seus locais de origem devido a guerras, conflitos e perseguições. Lançado em junho, o relatório “Tendências Globais” reúne as informações mais recentes do organismo sobre deslocamento forçado.

De acordo com o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), o Brasil havia reconhecido, até o final de 2017, um total de 10.145 refugiados de diversas nacionalidades. Desse contingente, 5.134 continuam no país na condição de refugiado, sendo que 52% moram em São Paulo, 17% no Rio de Janeiro e 8% no Paraná. Os sírios representam 35% da população refugiada com registro ativo no Brasil. Os demais, que não mantiveram o status de refugiado, podem ter retornado voluntariamente ao seu país de origem ou ter se naturalizado brasileiros.

Com entrada gratuita, a exposição fica em cartaz no Espaço Cultural Correios Niterói até 21 de janeiro de 2019.

Serviço
Exposição “Faces do Refúgio”
Data: de 15 de novembro de 2018 a 21 de janeiro de 2019 no Espaço Cultural Correios Niterói, Av. Visconde do Rio Branco, 481 – Centro, Niterói – RJ
Horário de funcionamento: De segunda a sábado (das 11h às 18h) – exceto feriados
Classificação indicativa: Livre.
Entrada franca.

Contatos de imprensa:
Thereza Jatoba, jatoba@unhcr.org, (11) 94018-0719


Mais notícias de:

Comente

comentários