Nigéria: Escritório da ONU para os direitos humanos condena atentado que matou mais de 150 pessoas

Ataques no último domingo (16) ocorreram em oito vilarejos e foram assumidos pelo grupo militante islâmico Boko Haram. Outras 39 pessoas foram mortas no dia 11 de fevereiro.

A porta-voz do ACNUDH, Ravina Shamdasani. Foto: ONU

A porta-voz do ACNUDH, Ravina Shamdasani. Foto: ONU

O Escritório das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) condenou nesta terça-feira (18) os ataques em oito aldeias do nordeste da Nigéria no domingo (16), que mataram mais de 150 pessoas.

Segundo o ACNUDH, cerca de 65 pessoas foram mortas em sete aldeias no estado de Adamawa, enquanto cerca de 90 foram mortas na aldeia de Izge, no estado de Borno. Muitos moradores fugiram da área por medo de novos ataques perpetrados por homens armados.

“Estamos chocados com a violência extrema e indiscriminada que a Nigéria tem testemunhado nos últimos tempos, incluindo os ataques contra duas aldeias no dia 11 de fevereiro, deixando 39 pessoas mortas, 65 feridos e 2 mil casas destruídas”, disse a porta-voz do ACNUDH, Ravina Shamdasani.

A agência pediu que o governo nigeriano garanta a segurança e proteção dos civis, especialmente em áreas propensas a ataques e onde o estado de emergência foi proclamado, bem como investigue e puna os culpados por tais atentados.

De acordo com relatos da mídia, o grupo militante islâmico conhecido como Boko Haram assumiu a responsabilidade pelos ataques de domingo. O grupo tem como alvo civis, incluindo estudantes e fiéis, políticos, membros de instituições governamentais e cidadãos estrangeiros.