Negociações de paz na Síria continuam esta semana, diz enviado da ONU

O enviado da ONU para a crise na Síria disse que a nova rodada de negociações de paz continua esta semana conforme planejado, apesar de informações de que a delegação da oposição poderia suspender sua participação oficial devido à falta de progresso no front humanitário.

Em Aleppo, na Síria, Esraa, 4 anos, e seu irmão, Waleed, 3 anos, sentam-se perto de abrigo para deslocados internos do país. Foto: UNICEF

Em Aleppo, na Síria, Esraa, 4 anos, e seu irmão, Waleed, 3 anos, sentam-se perto de abrigo para deslocados internos do país. Foto: UNICEF

O enviado da ONU para a crise na Síria disse na sexta-feira (22) que a nova rodada de negociações de paz continuará como planejado até esta quarta-feira (27), apesar de informações de que a delegação da oposição suspenderia sua participação oficial devido à falta de progresso no front humanitário.

“Planejo continuar as conversas de proximidade tanto no nível formal como técnico até a semana que vem, provavelmente até quarta-feira como planejado originalmente”, disse o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, em coletiva de imprensa em Genebra sobre a situação das conversas de paz no país, as quais está mediando.

“Precisamos tentar até quarta-feira para chegar o mais profundamente possível nas áreas que começamos discutir”, acrescentou, afirmando que esta semana estaria em melhores condições para reportar o andamento das negociações.

O enviado das Nações Unidas também indicou que, de acordo com critérios objetivos, o cessar de hostilidades ainda está em vigor. No entanto, novos ataques aéreos ocorreram na cidade de Aleppo, norte do país, na terça-feira (26), deixando ao menos 19 mortos, segundo agências internacionais.

Segundo o enviado da ONU, o ponto central das negociações é obter ideias, conceitos e uma visão do que as partes consideram um governo transitório ou o que o governo de Bashar Al Assad tem se referido como um “governo de ampla base”.

“O segredo, para nós, e a utilidade dessas conversas de aproximação é obter as respectivas visões sobre o que acreditam ser a transição política”, disse, enfatizando que, diferentemente das últimas negociações, desta vez os dois lados concordam com uma transição política.

De acordo com o enviado da ONU, na segunda-feira (18), a delegação da oposição síria demonstrou descontentamento sobre a falta de progresso da situação humanitária, e falou em adiar sua participação oficial nas conversas.

“Mas, por sorte, há um forte sentimento de urgência em não deixar o que é  a mãe de todas as questões: a transição política, e se aprofundar nisso”, disse o enviado.

Centenas de sírios são retirados de áreas sitiadas

No que foi classificado como um progresso “modesto, mas real” da situação humanitária na Síria, o enviado das Nações Unidas para o país disse na quinta-feira (21) que mais de 500 mil civis foram alcançadas durante o cessar de hostilidades e que cerca de 500 pessoas foram retiradas de áreas sitiadas.

“Até agora, 560 mil pessoas foram alcançadas, entre áreas de difícil acesso e isoladas. Isso significa que cerca de 220 mil pessoas nas áreas sitiadas foram alcançadas até agora, o que é mais ou menos metade das pessoas (nessas áreas)”, disse.

Um total de 515 pessoas foram retiradas e receberam atendimento médico na quarta-feira (20) em Zabadani, Madaya, Kefraya e Foah, em uma operação da ONU com a participação ativa do Crescente Vermelho Árabe Sírio.

Em Deir ez-Zor, ajuda humanitária foi lançada por avião, atingindo estimadas 65 mil pessoas, de acordo com o Programa Mundial de Alimentos (PMA). Segundo o enviado da ONU, o PMA planeja dobrar o número de lançamentos aéreos.