Navy Pillay quer garantia de eleições livres e justas na Guiné-Bissau

“Esta é uma oportunidade para a população da Guiné-Bissau expressar sua vontade política”, disse a Alta Comissária para Direitos Humanos pedindo transparência nas eleições deste domingo.

Navy Pillay pede garantias de eleições livres e justas na Guiné-Bissau (ONU//Jean-Marc Ferré).A Alta Comissária para Direitos Humanos, Navi Pillay, pediu hoje (16/03) respeito aos direitos humanos fundamentais e ao Estado de Direito durante as eleições na Guiné-Bissau neste domingo, quando a população irá escolher o futuro presidente.

“Esta é uma oportunidade para a população da Guiné-Bissau expressar sua vontade política, e para o país demonstrar seu firme compromisso com a consolidação das instituições democráticas, fortalecendo a tolerância política, respeitando a diversidade e os direitos humanos de todos”, disse Pillay.

Ela pediu que as autoridades nacionais e as entidades políticas que participam nestas eleições deem continuidade aos esforços de assegurar eleições livres, justas e transparentes, com pleno respeito aos direitos à liberdade de expressão, opinião e de reunião.