Nas Filipinas, chefe da ONU pede que comunidade internacional aumente ajuda para recuperação do país

Ban Ki-moon disse que o plano da ONU de 800 milhões de dólares para a recuperação das Filipinas só está 30% financiado, até agora.

Chefe da ONU, Ban Ki-moon, visitou Tacloban, nas Filipinas, onde o tufão Haiyan deixou muitas vítimas. Foto: ONU/ Evan Schneider

Chefe da ONU, Ban Ki-moon, visitou Tacloban, nas Filipinas, onde o tufão Haiyan deixou muitas vítimas. Foto: ONU/ Evan Schneider

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, visitou as Filipinas no último final de semana e pediu no domingo (22) que a comunidade internacional amplie o apoio ao plano de recuperação do país, onde o governo está ajudando milhões de pessoas a reconstruir suas vidas após a passagem do super tufão Haiyan, no início de novembro.

O plano de ação do governo, lançado na quarta-feira (18), prevê uma assistência de mais de 8 bilhões de dólares em quatro anos para restabelecer as condições econômicas e sociais das áreas afetadas aos níveis pré-tufão e criar uma capacidade maior de resistência às catástrofes naturais.

O chefe da ONU disse que a Organização e seus parceiros lançaram um Plano de Resposta Estratégica de cerca de 800 milhões de dólares para ajudar o país por um ano. No entanto, Ban pediu que a comunidade internacional acelere as doações já que, até agora, o plano só está 30% financiado.

Ele disse estar profundamente comovido e inspirado pelo que viu nas Filipinas, onde as pessoas estão trabalhando duro para se recuperar da passagem do tufão. Ban se reuniu com embaixadores e elogiou a excelente cooperação entre as Nações Unidas, seus parceiros e as autoridades filipinas em todos os níveis.

“As entregas de ajuda foram ampliadas significativamente. Mais de 4 milhões de pessoas afetadas já receberam assistência alimentar. Cerca de 100 mil kits de higiene e 65 mil kits de água foram distribuídos e 30 unidades de tratamento de água estão funcionando. Mais de 200 mil famílias receberam abrigos de emergência”, informou.

Ele também ressaltou a ajuda financeira fornecida para ajudar as pessoas a reconstruir casas danificadas e destruídas. Além disso, mais de 180 equipes médicas estrangeiras e nacionais têm fornecido ajuda emergencial e cerca de 260 clínicas móveis estão funcionando. Mais de 40 mil crianças se recuperaram da desnutrição aguda no país.

“As sementes de arroz foram distribuídas para mais de 10 mil famílias de agricultores até o momento. Nosso objetivo é garantir que pelo menos 72 mil hectares possam ser plantados para que a próxima safra em 2014 não seja perdida”, disse o secretário-geral da ONU.

Ban afirmou que, durante sua visita, ele também foi capaz de discutir com o presidente Aquino e o secretário Rosario outras questões de importância nacional e elogiou os esforços do governo para promover a paz, a democracia e o crescimento inclusivo.