‘Não são fáceis, mas são possíveis e dependem de todos’, diz OPAS/OMS sobre objetivos globais

Atendimento de saúde no Acre. Foto: Sérgio Vale/Secom/Agência de Notícias do Acre/Flickr

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram apresentados na última segunda-feira (26) pela Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) durante o III Congresso das Prefeituras e Secretarias Municipais de Saúde do Maranhão. O consultor nacional do Programa Especial de Desenvolvimento Sustentável da OPAS/OMS, Fábio Evangelista, detalhou os 17 objetivos globais e as 169 metas, principalmente as relacionadas à saúde.

Ele lembrou que no último dia 25 de setembro 193 países se reuniram e definiram os objetivos globais da ONU que fazem parte da chamada Agenda 2030, ano do prazo para que sejam cumpridos. “Não são fáceis, mas são possíveis de alcançar e dependem do empenho de todos. Os recursos para o cumprimento delas somos nós, profissionais de saúde”, disse.

O ODS número três, que trata de assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades, envolve ações como reduzir a mortalidade materna, neonatal e na infância; acabar com as epidemias de aids, tuberculose, malária e doenças tropicais negligenciadas; combater a hepatite, doenças transmitidas pela água e outras doenças transmissíveis; e diminuir as mortes e os ferimentos globais por acidentes em estradas.

“Essas metas não são nenhuma novidade. É o trabalho que vem sendo feito por vocês desde o ano 2000, quando foram implantados os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)”, afirmou o consultor.

De acordo com ele, o Brasil avançou bastante nos ODM, que englobam o período de 1990 a 2015, principalmente em áreas como redução da extrema pobreza e mortalidade na infância (crianças menores de cinco anos).

Durante a apresentação, Evangelista destacou ainda que, para atingir essas metas, é preciso o envolvimento de todos. “Essas não são metas apenas do governo brasileiro ou do governo do Maranhão. São também das ONGs, do setor privado, da sociedade civil e diversos outros, porque são metas para melhorar a vida de toda a população”.