‘Nada justifica a violência desenfreada contra civis’, diz ONU sobre ataque mortal à escola na Nigéria

Este ataque se soma a outros incidentes que comprometem o acesso à educação das crianças nigerianas. Foto: Flickr/Gates Foundation CC

“Nenhum objetivo justifica a violência desenfreada contra os civis na Nigéria”, afirmou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenando fortemente o atentado suicida nesta segunda-feira (10) em um colégio interno do governo na cidade de Potiskum, em Yobe, no nordeste da Nigéria, que causou a morte de dezenas de estudantes e deixou vários feridos.  

Ban Ki-moon disse estar “indignado” com a frequência e a brutalidade dos ataques contra instituições de ensino no norte do país e reiterou seu apelo para que os envolvidos cessem imediatamente estes crimes abomináveis. 

Expressando suas sinceras condolências às famílias das vítimas, ao governo e ao povo da Nigéria, o secretário-geral pediu que os responsáveis fossem levados à justiça o mais rápido possível através de um processo que respeite as obrigações de direitos humanos do país. Além disso, pediu que medidas adequadas de segurança fossem concedidas para a proteção de civis.

Na ocasião, o Fundo da ONU para a Infância (UNICEF) disse que estas acometidas repetidas e implacáveis contra as crianças e as escolas são ataques que vêm definindo o futuro da Nigéria, um país que tem o maior número de crianças fora da escola no mundo.  

Nos últimos anos, a Nigéria tem sido vítima de várias ofensivas, principalmente perpetradas pelo grupo militante Boko Haram, que supostamente é o responsável pelo ato mortal à escola.