Nada duradouro pode ser construído com violência, diz oficial da ONU citando Gandhi

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Lembrando que no mundo atual a violência se tornou uma ferramenta escolhida por muitos, e que essa escolha tem causado destruição e sofrimento, o presidente da Assembleia Geral da ONU, Miroslav Lajčák, pediu mais esforços para evitar conflitos e para a promoção da não violência.

“A mediação é uma das ferramentas mais efetivas de não violência. Pode retirar as partes do conflito, rumo a um acordo”, disse Lajčák, falando em um evento em Nova Iorque no Dia Internacional da Não Violência, lembrado na segunda-feira (2).

'Não Violência', escultura de Carl Fredrik Reuterswärd, fica na frente da sede da ONU, em Nova York. Foto: ONU/ Rick Bajornas

‘Não Violência’, escultura de Carl Fredrik Reuterswärd, fica na frente da sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/ Rick Bajornas

Lembrando que no mundo atual a violência se tornou uma ferramenta escolhida por muitos, e que essa escolha tem causado destruição e sofrimento, o presidente da Assembleia Geral da ONU, Miroslav Lajčák, pediu mais esforços para evitar conflitos e para a promoção da não violência.

“A mediação é uma das ferramentas mais efetivas de não violência. Pode retirar as partes do conflito, rumo a um acordo”, disse Lajčák, falando em um evento em Nova Iorque no Dia Internacional da Não Violência, lembrado na segunda-feira (2).

“Isso significa que a mediação pode evitar a violência — que só leva a perdas — e promover a não violência, resultando em benefícios para todos os lados”, acrescentou.

Em suas observações, ele lembrou o 72º debate da Assembleia Geral na semana passada, quando os Estados-membros incentivaram que atores locais, nacionais e regionais usassem formas não violentas de interromper e evitar conflitos.

Lajčák disse ainda que as Nações Unidas entraram em um período de reformas e, nesse contexto, pediu a todos que se lembrassem o objetivo comum: “uma ONU que seja apta a seu propósito, que possa oferecer soluções de não violência aos desafios globais”.

“Quanto maior a demora para responder uma crise, maior a possibilidade de a violência ser vista como única resposta”, afirmou.

Concluindo suas observações, Lajčák lembrou as palavras de Mahatma Gandhi, nascido na mesma data há 148 anos, segundo as quais “nada duradouro pode ser construído com a violência”. Para o presidente da Assembleia Geral da ONU, não é possível construir desenvolvimento sustentável, mudanças transformadoras ou um mundo melhor por meio da violência.

“As Nações Unidas devem atuar como um lembrete constante disso. Não devem apenas funcionar por meio da não violência – mas deve inspirar outros a fazê-lo também “, disse.

A Assembleia Geral da ONU, por meio de uma resolução em 2007, designou o 2 de outubro como o Dia Internacional da Não Violência para coincidir com o aniversário de Gandhi, que liderou o movimento de independência da Índia e foi pioneiro na filosofia e estratégia de não violência.


Comente

comentários