Nações Unidas pedem US$166 mi para ajudar 2,6 milhões pessoas no Quênia

A ONU e parceiros humanitários pediram na quinta-feira (16) 166 milhões de dólares para dar assistência a 2,6 milhões pessoas em necessidade no Quênia nos próximos 10 meses. A ideia é que os recursos ajudem produtores e agricultores do país, cujo gado e plantações estão sofrendo em meio à declarada catástrofe nacional provocada pela seca.

Pastores no Quênia. Foto: IRIN

Pastores no Quênia. Foto: IRIN

A ONU e parceiros humanitários pediram na quinta-feira (16) 166 milhões de dólares para dar assistência a 2,6 milhões pessoas em necessidade no Quênia nos próximos 10 meses. A ideia é que os recursos ajudem produtores e agricultores do país, cujo gado e plantações estão sofrendo em meio à declarada catástrofe nacional provocada pela seca.

“Com esses fundos, atores humanitários fornecerão serviços de alimentação, saúde, água e saneamento para os quenianos vulneráveis“, afirmou a coordenadora residente do da ONU no país, Siddharth Chatterjee.

De acordo com Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), metade do país é afetado pela seca provocada pelo terceiro ano consecutivo de chuvas inconstantes.

“As chuvas abaixo da média estão causando fome, dizimando gado, destruindo meios de subsistência, disseminando doenças e provocando grandes movimentos de pessoas”, destacou a agência da ONU em comunicado à imprensa.

O OCHA informou que o último apelo é um complemento ao plano de resposta de nove meses do Quênia, que enfrenta um déficit de 108 milhões de dólares.

No início do mês, o coordenador humanitário da ONU, Stephen O’Brien, visitou o país para chamar a atenção para o risco de fome enfrentado pelos quenianos, assim como para alertar para o problema semelhante no Sudão do Sul, na Somália e no Iêmen.

Ao relatar as suas observações ao Conselho de Segurança, O’Brien disse que a comunidade internacional “está enfrentando a maior crise humanitária desde a criação da ONU”.