Nações Unidas elogiam acordo em disputa sobre nomenclatura da Macedônia

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, cumprimentou o Parlamento da Grécia por sua ratificação de uma mudança de nome da Antiga República Iugoslava da Macedônia na sexta-feira (25), e elogiou líderes de ambos os países pelo fim de uma disputa de nomenclatura que tem envolvido a região há 28 anos.

A disputa ocorre desde 1991, quando a Antiga República Iugoslava da Macedônia declarou independência da Iugoslávia e anunciou sua intenção de se chamar “Macedônia”. A Grécia se recusou a reconhecer o nome, insistindo que somente a região setentrional grega de mesmo nome deveria se chamar Macedônia, e argumentando que o uso do nome por parte da Antiga República Iugoslava era uma provocação à soberania grega.

Criança na cidade de Gevgelija, na fronteira com a Grécia e a ex-República Iugoslava da Macedônia. Foto: UNICEF/Tomislav Georgiev

Criança na cidade de Gevgelija, na fronteira com a Grécia e a ex-República Iugoslava da Macedônia. Foto: UNICEF/Tomislav Georgiev

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, cumprimentou o Parlamento da Grécia por sua ratificação de uma mudança de nome da Antiga República Iugoslava da Macedônia na sexta-feira (25), e elogiou líderes de ambos os países pelo fim de uma disputa de nomenclatura que tem envolvido a região há 28 anos.

Matthew Nimetz, enviado especial do secretário-geral que tem se envolvido no processo há quase duas décadas, também elogiou a ratificação da mudança de nome, felicitando “este passo visionário” que ambos os lados deram.

O chefe da ONU afirmou em comunicado de seu porta-voz que “a implementação do acordo irá fortalecer a paz e a segurança na região e fornecer um novo impulso para os esforços de reconciliação na Europa e além”. O secretário-geral da ONU disse aguardar com expectativa a finalização do processo, como destacado no Acordo de Prespa.

Nimetz afirmou que o histórico Acordo de Prespa entre os dois vizinhos “abre a porta para um novo relacionamento entre eles e inaugura uma nova era para consolidação da paz e da segurança nos Bálcãs”.

A disputa ocorre desde 1991, quando a Antiga República Iugoslava da Macedônia declarou independência da Iugoslávia e anunciou sua intenção de se chamar “Macedônia”. A Grécia se recusou a reconhecer o nome, insistindo que somente a região setentrional grega de mesmo nome deveria se chamar Macedônia, e argumentando que o uso do nome por parte da Antiga República Iugoslava era uma provocação à soberania grega.

O Parlamento da Antiga República Iugoslava da Macedônia e os cidadãos do país aprovaram a mudança – renomeando o país para República da Macedônia do Norte – em referendo realizado em setembro de 2018, pouco após os líderes da Antiga República Iugoslava da Macedônia e da Grécia assinarem um acordo sobre a questão em cerimônia no Lago Prespa, onde as fronteiras dos dois países (e da Albânia) se encontram.

Em comunicado na sexta-feira, Nimetz disse aguardar a finalização do processo, e reiterou o “contínuo comprometimento das Nações Unidas de trabalhar com as duas partes”.