Na Turquia, secretário-geral da ONU debate crise na Síria, Iraque e Chipre

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em visita à Turquia, o secretário-geral da ONU, António Guterres, se reuniu no último sábado (11) com o presidente, Recep Tayyip Erdogan, e discutiu a situação na Síria e os esforços diplomáticos para acabar com o conflito na região.

António Guterres fala aos jornalistas na Turquia. Foto: ONU / Ahmet Parla

António Guterres fala aos jornalistas na Turquia. Foto: ONU / Ahmet Parla

Em visita à Turquia, o secretário-geral da ONU, António Guterres, se reuniu no último sábado (11) com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e discutiu a situação na Síria e os esforços diplomáticos para acabar com o conflito na região.

Guterres destacou a necessidade de se continuar combatendo o terrorismo e os extremistas na Síria, e disse que o esforço não será bem-sucedido sem uma solução política apoiada pelo povo do país.

“Estou grato que a conversações em Astana tenham sido realizadas em apoio ao processo de Genebra”, disse em comunicado emitido pelo seu porta-voz.

As conversações entre o governo sírio e a oposição, negociadas pela Rússia e pela Turquia, foram realizadas na capital do Cazaquistão, Astana, nos dias 23 e 24 de janeiro. As negociações entre a Síria e a ONU devem ser retomadas em Genebra, a partir do dia 20 de fevereiro.

Em relação à situação no Iraque, ele pediu que as operações em curso para libertar Mossul e outras áreas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Da’esh) não intensifiquem o sectarismo, mas, sim, promovam um símbolo de reconciliação nacional.

O dirigente máximo da ONU também agradeceu a Turquia pela “enorme generosidade extraordinária” em acolher milhões de refugiados da Síria e do Iraque.

Os dois líderes ainda discutiram os últimos desenvolvimentos no processo de paz na região do Chipre.

A passagem por vários países árabes é a primeira grande viagem do secretário-geral da ONU desde que assumiu o cargo, no dia 1º de janeiro.

Secretário-geral destaca responsabilidade coletiva de proteção aos refugiados

Na noite de sexta-feira (10), durante encontro com a imprensa em Istambul, na Turquia, o secretário-geral lançou um apelo em prol da “integridade da proteção internacional dos refugiados e das comunidades acolhedoras”.

“Este é um momento de lançar um apelo – quando vemos tantas fronteiras sendo fechadas e quando muitos estão escapando de suas responsabilidades. É preciso uma efetiva repartição dos encargos, bem como uma garantia de que a integridade do regime internacional de proteção aos refugiados seja mantida”, disse Guterres a jornalistas, ao lado do primeiro-ministro turco, Binali Yildirim.

O chefe da ONU explicou que os países que abrigam refugiados precisam receber apoio, assim como as comunidades que acolhem esses civis.

Ao defender o reassentamento, ele lembrou que proteger os refugiados não é uma obrigação somente dos países vizinhos às nações em crise, mas sim de toda a comunidade internacional.

António Guterres também afirmou que a luta contra o terrorismo é extremamente importante, “mas não deve haver ilusões: a comunidade internacional não terá sucesso nesta luta se não encontrar soluções políticas em que a população esteja representada”.

Sobre o conflito Israel-Palestina, ele afirmou não haver um “plano B”, mas sim a solução de dois Estados. “É essencial evitar ações unilaterais que minem a possibilidade dessa resolução”, frisou.


Comente

comentários