Na sede da ONU, brasileira coordenará debate sobre violência contra mulheres indígenas

Na próxima sexta-feira (28), na sede da ONU, em Nova Iorque, uma brasileira coordenará um painel de discussões sobre violência contra as mulheres indígenas. Cristiane Julião, da etnia Pankararu, vai moderar o debate que terá a participação de indígenas da África, Ásia e América Latina, e também da relatora especial das Nações Unidas sobre os direitos dos povos originários, Victoria Tauli-Corpuz. Iniciativa é da ONU Mulheres nas Américas e no Caribe, em parceria com outras redes globais e regionais.

O evento é uma atividade paralela ao Fórum Permanente das Nações Unidas para as Questões Indígenas, que começou na segunda-feira (24) e vai até 5 de maio.

Próxima Cúpula Ibero-americana, que terá apoio do PNUD e da SEGIB, acontece na Colômbia. Foto: ACNUR / B. Heger

Indígenas colombianas. Foto: ACNUR / B. Heger

Na próxima sexta-feira (28), na sede da ONU, em Nova Iorque, uma brasileira coordenará um painel de discussões sobre violência contra as mulheres indígenas. Cristiane Julião, da etnia Pankararu, vai moderar o debate que terá a participação de indígenas da África, Ásia e América Latina, e também da relatora especial das Nações Unidas sobre os direitos dos povos originários, Victoria Tauli-Corpuz.

O painel “Construção da paz e do bem-estar na contribuição de processos de erradicação da violência contra as mulheres indígenas” é promovido pelo escritório regional da ONU Mulheres nas Américas e no Caribe, pelo Fórum Internacional de Mulheres Indígenas (FIMI) e pelo Pacto de Pessoas Indígenas da Ásia.

O evento é uma atividade paralela ao Fórum Permanente das Nações Unidas para as Questões Indígenas, que começou na segunda-feira (24) e vai até 5 de maio. Neste ano, o encontro global celebra o 10º aniversário da Declaração da ONU sobre os Direitos dos Povos Indígenas.

Além de Cristiane, as discussões do painel da ONU Mulheres contarão com a presença de New Oo, da Rede de Mulheres Indígenas de Bangladesh, Celerina Sánchez, da Aliança de Mulheres Indígenas da América Central e México, Buba Balkisou, da Rede de Indígenas e Comunidades Locais para a Gestão Sustentável de Ecossistemas e Florestas da África Central, e de Rune Fjelheim, do Parlamento Sámi, organismo que representa os indígenas da etnia homônima na Noruega.

O objetivo dos debates é abordar os desafios enfrentados pelas mulheres indígenas e apresentar boas práticas que conseguiram combater violações de seus direitos. As considerações finais do evento serão feitas por Lakshmi Puri, vice-diretora-executiva da ONU Mulheres, e por Victoria Tauli-Corpuz.

Em 2016, após vista técnica ao Brasil, a relatora apresentou ao Conselho de Direitos Humanos da ONU um documento em que alertava para os riscos enfrentados pelos indígenas vivendo no país. Momento atual foi visto como o mais grave para a proteção de seus direitos desde a adoção da Constituição de 1988.

Painel foi proposto pela ONU Brasil

O painel paralelo foi proposto pela ONU Mulheres Brasil durante a 61ª Sessão da Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres (CSW 61), ocorrida em março deste ano. Para a representante da agência das Nações Unidas no país, Nadine Gasman, “é preciso intensificar ações voltadas para a prevenção de violência, o acesso e a garantia de direitos e justiça aos povos indígenas”.

A respeito das mulheres e meninas vítimas de agressões e abusos, a dirigente aponta que “é necessário assegurar o acolhimento humanizado, a celeridade de resposta do poder público e o rigoroso enfrentamento à impunidade frente a violações de direitos e práticas criminosas contra a vida, tendo a etnicidade e a territorialidade como pontos fundamentais”.

“É A ONU Mulheres Brasil segue com o seu compromisso com as mulheres indígenas por meio do fortalecimento da sua liderança política e do seu empoderamento como tomadoras de decisão e negociadoras nos processos de garantia de direitos de seus povos e territórios”, acrescenta Nadine.

Serviço
Painel paralelo “Construção da paz e do bem-estar na contribuição de processos de erradicação da violência contra as mulheres indígenas”
Fórum Permanente das Nações Unidas para as Questões Indígenas
Data: 28 de abril de 2017 (sexta-feira)
Horário: das 4:30 pm às 6:00 pm (horário de Nova Iorque)
Local: Sala de Conferência B – Sede da ONU – Nova Iorque/EUA

Informações para a Imprensa
:
Isabel Clavelin
Assessora de Comunicação da ONU Mulheres Brasil
61 3038 9140 | 98175 6315


Comente

comentários