Na reunião do G20, secretário-geral da ONU pede solução política para o conflito na Síria

Ban Ki-moon deve atualizar líderes mundiais sobre a situação no país e as investigações sobre as armas químicas. Ele também vai reiterar a importância de cumprir Metas do Milênio.

Secretário-geral da ONU na reunião do G20. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Secretário-geral da ONU na reunião do G20. Foto: ONU/Eskinder Debebe

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o representante especial das Nações Unidas e da Liga Árabe para a Síria, Lakhdar Brahimi, estão em São Petersburgo, na Rússia, para a Cúpula do G20. Eles reiteraram a necessidade de uma solução política para o conflito na Síria. O G20 é o grupo das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia.

Ban Ki-moon disse que “a situação atual provocada pela acusação do uso de armas químicas e deterioração da situação humanitária na Síria necessita urgentemente que os líderes mundiais foquem a sua vontade política para resolver este problema”.

Brahimi está na Rússia a pedido do secretário-geral da ONU para que, juntos, eles pressionem os países a convocarem uma reunião internacional sobre a Síria com a participação de funcionários de alto escalão dos governos russo e americano e das Nações Unidas.

Ele disse que a crise síria chegou a um estágio tão “urgente” que Ban Ki-moon acredita que esse deve ser um dos assuntos abordados na reunião das 20 maiores economias do mundo.

Um porta-voz da ONU em Nova York disse nesta quinta-feira (5) que o secretário-geral das Nações Unidas vai participar da sessão de abertura da Cúpula. Ban Ki-moon deve atualizar os líderes mundiais sobre os recentes acontecimentos na Síria e o andamento do trabalho da equipe de investigação de armas químicas.

Na reunião, ele também vai chamar a atenção internacional sobre os desafios globais em longo prazo, incluindo os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), o fortalecimento da recuperação econômica global e o desenvolvimento sustentável.