Na primeira comemoração do Dia Mundial dos Solos, ONU lembra sua importância para todos

Solos saudáveis aumentam a resiliência a enchentes e secas, aceleram a produção de alimentos e servem como reservatórios de biodiversidade. No entanto, um terço dos solos sofre com gerenciamento insustentável da terra.

A preservação dos solos é essencial para o desenvolvimento sustentável. Foto: FAO/Olivier Asselin

A preservação dos solos é essencial para o desenvolvimento sustentável. Foto: FAO/Olivier Asselin

Solos saudáveis são fundamentais para os suprimentos de alimentos, combustíveis, fibras e até medicamentos, disse a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). O primeiro Dia Mundial do Solo foi celebrado nesta sexta-feira (05) com eventos em Roma (Itália), Nova York (EUA) e Santiago (Chile) – que também deram início ao Ano Internacional dos Solos 2015.

O objetivo da iniciativa é promover o uso sustentável deste recurso crucial, uma vez que os solos saudáveis aumentam a resiliência a enchentes e secas, aceleram a produção de alimentos e servem como reservatórios de biodiversidade.

No entanto, estima-se que um terço dos solos sofra com as práticas insustentáveis de gerenciamento da terra – que levam a processos degradantes como a erosão, a compactação, a acidificação e a poluição.

De acordo com a FAO, a América Latina e o Caribe têm as maiores reservas de terras cultiváveis do mundo; portanto, o cuidado e a preservação dos seus solos é fundamental para que a região alcance a meta de erradicação da fome. Atualmente, a região concentra 14% da degradação mundial dos solos.

Durante 2015, a FAO irá trabalhar com os governos, a sociedade civil, o setor privado e todas as partes interessadas para alcançar o pleno reconhecimento das contribuições importantes de solos para a segurança alimentar, a adaptação às mudança climáticas, os serviços essenciais dos ecossistemas, a redução da pobreza e o desenvolvimento sustentável.