Na ONU, Shakira e UNICEF pedem mais investimentos para primeira infância

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Evidências mostram que investimento na saúde e educação nos primeiros anos da criança é uma das formas mais eficazes e econômicas de alcançar o desenvolvimento sustentável.

Cantora e embaixadora da boa vontade do UNICEF pede por investimentos e atenção à crianças pequenas. Na imagem, de 2011, a colombiana se encontra com meninas participando de um programa educacional no distrito de Udaipur, na Índia. Foto: UNICEF/Prashanth Vishwanathan

Cantora e embaixadora da boa vontade do UNICEF pede por investimentos e atenção à crianças pequenas. Na imagem, de 2011, a colombiana se encontra com meninas participando de um programa educacional no distrito de Udaipur, na Índia. Foto: UNICEF/Prashanth Vishwanathan

Em evento na sede da ONU, em Nova York, a Embaixadora da Boa Vontade do Fundo da ONU para a Infância (UNICEF) e cantora, Shakira, pediu aos líderes globais a fazerem “investimento pesado no desenvolvimento de crianças pequenas”.

Nova pesquisa científica mostra que estresse e má nutrição afetam intensamente o desenvolvimento dos cérebros das crianças em sua primeira infância. O evento contou com a presença do secretário-geral, Ban Ki-moon, do diretor-executivo do UNICEF, Anthony Lake, e o diretor do Centro da Universidade de Harvard de Desenvolvimento Infantil, Doutor Jack P. Shonkoff.

Segundo estudos, os cérebros em desenvolvimento de crianças pequenas são tão afetados por fatores externos – como, má nutrição, falta de estímulo e estresse – quanto pela genética. Com base na pesquisa, o UNICEF propõe que haja maior incentivo à amamentação, à leitura, brincadeiras com as crianças e programas de educação formal sejam aplicados na fase inicial infantil.

“Mais de 100 milhões de crianças estão fora da escola e 159 milhões de meninos e meninas com menos de cinco anos estão física e cognitivamente atrofiados por falta de cuidado e nutrição apropriada”, afirmou Shakira.

Evidências mostram que o investimento na primeira infância é um da das soluções mais rentáveis para alcançar o desenvolvimento sustentável. Um estudo demonstrou que a elevação no número de matrícula pré-escolares em 73 países representou um aumento entre seis e 17 dólares em salário por dólar investido inicialmente, indicando um benefício a longo prazo entre 11 e 34 bilhões de dólares.

Segundo o UNICEF, essas descobertas têm implicação direta para crianças que crescem em situações de extrema pobreza, expostas à violência doméstica ou em países afetados por conflitos. O evento antecede a semana em que serão adotados os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que inclui o desenvolvimento da primeira infância na agenda.


Mais notícias de:

Comente

comentários