Na ONU, governos prometem doar US$151 milhões para Fundo de Construção da Paz

Secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, cumprimenta o enviado da UNESCO para a Paz e a Reconciliação, Forest Whitaker, em evento na sede da ONU em Nova York. Foto: ONU/JC McIlwaine

Durante evento paralelo aos debates da Assembleia Geral, realizado em meados de setembro, 26 Estados-membros da ONU prometeram doar 151 milhões de dólares ao Fundo de Construção da Paz das Nações Unidas para cobrir o período entre 2017-2019.

O dinheiro será usado em projetos para prevenir conflitos violentos em vários países, corrigir o desequilíbrio entre o que o mundo gasta em guerras e nas respostas a crises mundiais, bem como para alcançar a paz sustentável.

De acordo com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, o Fundo enfrenta atualmente muitos desafios, devido ao aumento dos conflitos a nível mundial, às crises econômicas, desigualdades e às mudanças climáticas.

“Embora haja menos guerras entre os Estados, os conflitos estão ocorrendo dentro dos países, e muitas vezes com o envolvimento internacional e de atores não estatais. Essas tendências estão empurrando o Sistema das Nações Unidas para o seu limite”, disse Ban.

“Nós não estamos vivendo de acordo com a chamada nobre que abre a Carta das Nações Unidas, ‘para salvar as gerações vindouras do flagelo da guerra’”, acrescentou.

Somente em 2015, disse Ban, 34 bilhões de dólares foram gastos em ajuda humanitária e para a manutenção da paz para vítimas de conflitos e refugiados. “Isso é insustentável”, frisou.

“Os especialistas estimam que a violência e os conflitos em todo o mundo geraram, em 2015, custos de 13,6 trilhões de dólares. Isso corresponde a mais de 1.800 dólares por pessoa no planeta”, disse.

O secretário-geral destacou que o Fundo de Consolidação da Paz tem um “papel vital”, ajudando milhões de pessoas em todo o mundo e fornecendo recursos para projetos cujos investimentos são arriscados.

“O Fundo constrói a coerência, espalhando seus recursos através de mais de 25 agências das Nações Unidas e outros parceiros, e motivando-os a trabalharem juntos”, disse Ban.

“Além disso, o Fundo é inclusivo. Os seus projetos apoiam mulheres e jovens; e têm uma base de doadores de mais de 50 países.”

“Apesar de tudo isso, esses recursos cruciais estão em uma posição financeira perigosa”, acrescentou, destacando que sem pelo menos 100 milhões de dólares por ano o Fundo de Consolidação da Paz não pode cumprir os seus compromissos mais básicos.

O Fundo foi criado em 2006 a pedido da Assembleia Geral e do Conselho de Segurança da ONU. Ele tem como foco iniciativas de construção da paz pós-conflitos.

Atualmente, 120 projetos estão em andamento em 25 países. Na última década, o Fundo já disponibilizou 623 milhões de dólares para 33 países em ajuda para evitar o retorno ao conflito e para manter a paz.