Na ONU, empresas brasileiras discutem desafios e oportunidades para mulheres no mercado de trabalho

Comitiva brasileira foi formada por 20 pessoas de empresas e instituições. Foto: ONU Mulheres

Representantes de empresas brasileiras e profissionais engajados e engajadas com a igualdade de gênero estiveram, em março, em Nova Iorque para participar de palestras, encontros e debates promovidos pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global das Nações Unidas na Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres (CSW), maior fórum intergovernamental sobre igualdade de gênero no mundo.

A delegação tinha como foco a participação no Fórum dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (Women’s Empowerment Principles, WEPs, na sigla em inglês), em 14 de março, e o Fórum WeEmpower/WinWin, em 15 de março – ambos voltados à igualdade de gênero nos negócios e parte integrante da grade de programação da CSW63.

Acompanhada por integrante da equipe de ONU Mulheres Brasil, a comitiva brasileira foi formada por 20 pessoas de empresas e instituições como Banco do Brasil, BRK Ambiental, Grupo Cene (medicina do trabalho), CKZ Eventos, Demarest, Fundação Getúlio Vargas (FGV), Furnas, Levoo (franquia do McDonald’s para o centro-oeste do Brasil), Petrobrás Distribuidora, Talenses, Rede Mulher Empreendedora e Comitê Permanente de Gênero, Raça e Diversidade do Ministério de Minas e Energia e Entidades Vinculadas (COAGE/CGRL/SPOA/MME).

Entre os brasileiros que apresentaram painéis ou protagonizaram mesas de discussão estavam Carlos André, diretor-presidente da gestora de recursos do Banco do Brasil, a BB DTVM; Patrícia Molina, sócia-líder de Pessoas e Mudanças e líder do Comitê de Inclusão e Diversidade da KPMG no Brasil; Teresa Vernaglia, presidente da BRK Ambiental. O norte-americano Jacob Ronsembloom, empreendedor no Brasil com a Levve/Emprego Ligado, também conduziu um dos debates.

Esse foi o maior grupo brasileiro já presente na CSW, que já conta 63 edições, e também um dos maiores grupos de país em todo o evento neste ano.

Todas as empresas que integraram o grupo brasileiro são signatárias dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (Women’s Empowerment Principles, WEPs na sigla em inglês), plataforma orientadora (com sete princípios) que estabelece metas para fazer avançar em políticas pela igualdade de gênero.

“A participação brasileira na CSW mostra que, apesar de tudo que ainda precisamos conquistar em relação à equidade de gênero e ao empoderamento das mulheres, há, felizmente, uma compreensão cada vez maior por parte das empresas e das pessoas de negócios sobre suas responsabilidades em relação à essa agenda”, diz Adriana Carvalho, gerente da ONU Mulheres Brasil para os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) e líder da comitiva.

Saiba mais sobre como foram os encontros, bem como seus resultados, clicando aqui.