Na Líbia, chefe da ONU expressa preocupação com relatos de avanços militares no país

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, expressou profunda preocupação com relatos de avanço de forças militares em direção à capital da Líbia, Trípoli, declarando que “não há solução militar” para restaurar paz e estabilidade no país.

Guterres está em visita à Líbia, em apoio aos esforços do governo internacionalmente reconhecido para unir líderes rivais em todo o país para uma conferência nacional de reconciliação. Eleições democráticas serão realizadas posteriormente este ano.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, cumprimenta pessoal nacional e internacional em sua chegada à sede da UNSMIL, na Líbia, em abril de 2019. Foto: ONU/Mohamed Alalem

Secretário-geral da ONU, António Guterres, cumprimenta pessoal nacional e internacional em sua chegada à sede da UNSMIL, na Líbia, em abril de 2019. Foto: ONU/Mohamed Alalem

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, expressou profunda preocupação com relatos de avanço de forças militares em direção à capital da Líbia, Trípoli, declarando que “não há solução militar” para restaurar paz e estabilidade no país.

Guterres está em visita à Líbia, em apoio aos esforços do governo internacionalmente reconhecido para unir líderes rivais em todo o país para uma conferência nacional de reconciliação. Eleições democráticas serão realizadas posteriormente este ano.

O chefe da ONU disse no Twitter que está “profundamente preocupado com a movimentação militar acontecendo na Líbia e com o risco de confronto”. “Não há solução militar. Apenas diálogo dentro da Líbia pode resolver problemas líbios”, acrescentou.

De acordo com a imprensa internacional, o comandante Khalifa Haftar, que lidera uma administração rival através das Forças Armadas da Líbia no leste do país, instruiu suas forças a seguirem para o oeste. Segundo os relatos, a ação foi descrita como uma suposta busca a elementos terroristas. Trípoli fica no noroeste do país.

As Forças Armadas da Líbia avançaram nas últimas semanas para tomar controle de territórios no sul do país.

No mês passado, Guterres expressou esperança de uma solução para a instabilidade da Líbia, para o conflito civil e para a turbulência econômica, decorrentes da queda do ex-ditador Muammar Gaddafi, em 2011. Segundo o chefe da ONU, a solução poderia ser encontrada após um encontro histórico entre o primeiro-ministro, Faiez Serraj, e o comandante Haftar, que aconteceu no final de fevereiro.

Os dois líderes concordaram em realizar eleições nacionais e democráticas, e em “maneiras de manter estabilidade no país e unificar suas instituições”, de acordo com comunicado da Missão da ONU no país, UNSMIL.


Comente

comentários