Na Índia, UNESCO discute o aproveitamento das TIC para capacitar pessoas com deficiências

Em todo o mundo, há mais de um bilhão de mulheres e homens com deficiência, com 80% vivendo nas áreas rurais de países em desenvolvimento. As pessoas com deficiência são mais propensas a passar por experiências de pobreza e desemprego, bem como a sofrer devido ao analfabetismo e à exclusão social.

Menino com deficiência auditiva em escola do Sri Lanka. Foto: CC/UNESCO

Menino com deficiência auditiva em escola do Sri Lanka. Foto: CC/UNESCO

Promover os direitos das pessoas com deficiência é uma questão de dignidade humana e de desenvolvimento sustentável das comunidades e dos povos, afirmou a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, na abertura da Conferência Internacional sobre aproveitamento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para capacitar pessoas com deficiência.

O evento acontece esta semana em Nova Déli, na Índia, e reúne cerca de 500 mulheres e homens de todo o mundo, inclusive o representante da UNESCO no Brasil, Lucien Muñoz, e o secretário nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD) do Brasil, Antonio José Ferreira. O objetivo é discutir sobre as experiências e oportunidades que as TIC oferecem para o empoderamento de pessoas com deficiência.

Em todo o mundo, há mais de um bilhão de mulheres e homens com deficiência, com 80% dessas pessoas vivendo nas áreas rurais de países em desenvolvimento. As pessoas com deficiência são mais propensas a passar por experiências de pobreza e desemprego, bem como a sofrer devido ao analfabetismo e à exclusão social.

“Para avançarmos, devemos fazer mais para aproveitar o poder das TIC, alcançar o que ainda não foi alcançado, facilitar a participação dessas pessoas na vida política, econômica, social e cultural e ampliar o acesso à informação e aos benefícios”, afirmou Bokova, na abertura do evento, nesta segunda-feira (24).