Na democracia, apatia deve ser combatida com participação inclusiva, diz chefe da ONU

Em sua mensagem para o Dia Internacional da Democracia, Ban Ki-moon afirmou que população deve usar as novas tecnologias para se informar melhor e lutar contra desigualdades.

Mulheres libanesas esperando para votar nas eleições de 2012. Foto: UNSMIL

Mulheres libanesas esperando para votar nas eleições de 2012. Foto: UNSMIL

Este ano, o Dia Internacional da Democracia é comemorado em meio a transições políticas voláteis em vários países, crise econômica prolongada e alterações demográficas e sociais dramáticas, lembrou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em sua mensagem para a data, sempre celebrada no dia 15 de setembro.

“Apesar dos avanços na participação cívica, a apatia tornou-se o inimigo mais insidioso da democracia em um número crescente de sociedades”, disse o chefe das Nações Unidas.

“A participação inclusiva é o antídoto”, acrescentou, ressaltando que tal inclusão não é apenas um fim em si mesmo, mas “ajuda as comunidades a desenvolver formas funcionais de democracia para governos, empresas e sociedade civil”.

Em sua mensagem, Ban também observou que a evolução tecnológica possibilita que as pessoas estejam mais informadas e tomem a iniciativa para desempenhar um papel mais direto em áreas que ele considera serem as atuais prioridades globais.

Redução das desigualdades, prevenção de conflitos armados, apoio às nações em transição, empoderamento de mulheres e jovens e promoção do desenvolvimento sustentável são algumas delas.

O secretário-geral da ONU pediu que os líderes mundiais ouçam e levem em consideração as vozes do povo.

Ban também convidou os cidadãos a pensar o modo como eles podem se fazer ouvidos.

 

 

http://youtu.be/Kc9APYXbJSs