Na CEPAL, governos da América Latina e do Caribe refletem sobre a arquitetura do financiamento para o desenvolvimento

Evento discute propostas regionais para a Terceira Conferência da ONU sobre o Financiamento do Desenvolvimento, que acontece em julho, em Adis Abeba (Etiópia)

Autoridades e ministros de vários países da América Latina e Caribe, assim como representantes da Organização das Nações Unidas afirmaram ser necessário repensar a engenharia financeira internacional e colocar a inclusão no centro nova agenda do desenvolvimento pós-2015, durante reunião na sede da Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL), em Santiago, Chile.

 A Consulta Regional da América Latina e Caribe sobre o Financiamento do Desenvolvimento, organizada pela CEPAL e o governo chileno, iniciada nesta quinta-feira  (12) discute o documento final que será que será levado para a Terceira Conferência Internacional sobre o Financiamento do Desenvolvimento, que ocorre em julho, em Adis Abeba na Etiópia. Neste encontro mundial espera-se que os chefes de Estados e outros representantes da comunidade internacional negociem um acordo intergovernamental para pôr em prática a agenda de desenvolvimento pós-2015.

Na abertura do evento a secretária-executiva da CEPAL, , Alicia Bárcena, lembrou que a conferência de Adis Abeba representa uma ocasião única para enfrentar os desafios dos países de renda média (como os do Caribe e da América Latina).

“Devemos gerar uma nova associação estratégica de todos os países do mundo e principalmente os da América Latina para avançar em direção à igualdade, transformando nossa estrutura produtiva com sustentabilidade ambiental”, declarou Bárcena.