Mundo deve pôr fim a ‘desenvolvimento suicida’, diz chefe da ONU após visita ao Caribe

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visitou dois países do Caribe – Antígua e Barbuda e Dominica – para ver de perto os danos causados pelo mais recente furacão que passou pelo Caribe. “O vínculo entre as mudanças climáticas e a devastação que estamos testemunhando é clara, e existe uma responsabilidade coletiva por parte da comunidade internacional de dar um basta a esse desenvolvimento suicida”, disse.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visitou Antígua e Barbuda neste sábado (7) para ver de perto os danos causados pelo mais recente furacão que passou pelo Caribe. No domingo (8), ele esteve em Dominica.

“O vínculo entre as mudanças climáticas e a devastação que estamos testemunhando é clara, e existe uma responsabilidade coletiva por parte da comunidade internacional de dar um basta a esse desenvolvimento suicida”, disse Guterres.

“Precisamos de um envolvimento maior da comunidade internacional para conseguirmos controlar as mudanças climáticas e evitar o aumento dramático dos desastres que estamos vendo, de forma ainda mais dramática no futuro.”

Citando estudo da Organização Meteorológica Mundial da ONU (OMM), o secretário-geral disse que as catástrofes naturais se triplicaram, enquanto os danos causados às economias atingidas aumentaram cinco vezes.

“Hoje, existe uma prova científica de que as mudanças climáticas são em grande parte responsáveis pelo aumento dramático da intensidade e da devastação causada pelos furacões no Caribe, e por muitos outros fenômenos em todo o mundo”, acrescentou Guterres.

Desde que os desastres atingiram a região, a ONU e os parceiros entregaram ajuda pelo ar e pelo mar e alcançaram milhares em toda a região.

Foram entregues alimentos, comprimidos de purificação de água, tanques de armazenamento de água, tendas, kits escolares, mosquiteiros e assistência em dinheiro.

Além disso, a organização e parceiros humanitários lançaram um apelo de 113,9 milhões de dólares para atender as necessidades humanitárias para o próximo período imediato. Agências do Sistema ONU também estão apoiando as pessoas que permanecem nos abrigos.

Foi lançado ainda um apelo de 31,1 milhões de dólares para alcançar mais de 90% dos dominicanos – cerca de 65 mil pessoas – até o final do ano.

Saiba mais sobre a resposta conjunta da ONU no site do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários, em www.unocha.org/hurricane-season-2017.


Comente

comentários