Mulheres conquistam direito de dirigir na Arábia Saudita

Terminou no domingo (24) a proibição para mulheres dirigirem na Arábia Saudita. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, comemorou a mudança e reconheceu os esforços das mulheres sauditas para a conquista desse importante marco em prol da igualdade de gênero.

Avenida em Riad, na Arábia Saudita. Foto: Ammar shaker/Wikimedia Commons (CC)

Avenida em Riad, na Arábia Saudita. Foto: Ammar shaker/Wikimedia Commons (CC)

Terminou no domingo (24) a proibição para mulheres dirigirem na Arábia Saudita. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, comemorou a mudança e reconheceu os esforços das mulheres sauditas para a conquista desse importante marco em prol da igualdade de gênero.

Guterres manifestou também a esperança de que o fim da proibição gere mais oportunidades para as mulheres no país.

Um decreto real emitido em setembro do ano passado anunciou que a proibição de longa data terminaria em julho de 2018. Naquela época, o secretário-geral da ONU e outros altos funcionários das Nações Unidas disseram que viram a medida como um primeiro passo importante que poderia levar a uma maior participação das mulheres no mercado de trabalho e em outras áreas da vida pública.

A Arábia Saudita acabou com a proibição de mulheres dirigirem à meia-noite do dia 24 de junho. Até então, elas eram castigadas caso fossem pegas dirigindo. Para se locomover, dependiam de um parente homem ou de um motorista particular.

Em um comunicado divulgado no domingo por seu porta-voz, Guterres prestou homenagem às mulheres sauditas por seus esforços para alcançar este importante marco legal, “que deve contribuir para a mobilidade econômica e social das mulheres e o desenvolvimento do país”.

“Ele está ansioso para testemunhar a jornada contínua da Arábia Saudita em direção à igualdade de gênero”, disse o comunicado.