Movimento nacional pelos ODS promove encontro em Brasília

Representantes do Movimento Nacional ODS – Nós Podemos reuniram-se em Brasília para seu quinto encontro. Além de membros do grupo, representantes de governos, da sociedade civil e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) discutiram de que forma os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030 podem colaborar na formulação de políticas públicas locais e regionais para o alcance do desenvolvimento sustentável.

No encontro, representantes de governos, da sociedade civil e do PNUD discutiram a municipalização dos ODS. Foto: Guilherme Larsen/PNUD.

No encontro, representantes de governos, da sociedade civil e do PNUD discutiram a municipalização dos ODS. Foto: Guilherme Larsen/PNUD.

Representantes do Movimento Nacional ODS – Nós Podemos reuniram-se na quinta-feira (10) em Brasília para seu quinto encontro. Além de membros do grupo, representantes de governos, da sociedade civil e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) discutiram no auditório da Fundação Assis Chateaubriand de que forma os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030 podem colaborar na formulação de políticas públicas locais e regionais para o alcance do desenvolvimento sustentável.

“Desde 2014, estamos nesse movimento e ajudamos a promover ações que podem transformar o nosso mundo. Temos em nosso planejamento muitas oportunidades para contribuir com iniciativas que colaboram com a erradicação da pobreza, a diminuição da desigualdade e fortalecem o desenvolvimento sustentável”, disse o vice-presidente da Fundação Assis Chateaubriand, Paulo Cesar Marques.

Na opinião do diretor-executivo da Confederação Nacional dos Municípios, a formulação de políticas de longo prazo é fundamental para o cumprimento dos ODS, por meio do fortalecimento da governança institucional. “Estamos empenhados em fortalecer políticas de longo prazo, que é um enorme desafio no Brasil. Os ODS trazem esse planejamento. A CNM adotou os Objetivos como forma de orientar políticas para a municipalização dos ODS. E também dialogamos com movimentos como o Nós Podemos, que representa uma das maiores iniciativas de governança institucional para o alcance do desenvolvimento sustentável até 2030”, disse.

Representando o governo federal, o secretário nacional de Articulação Social da Secretaria de Governo, Henrique Villa, destacou que a definição de indicadores é eixo central na promoção de políticas públicas para o cumprimento da Agenda 2030. “Temos o grande desafio de sensibilização para o cumprimento dos ODS e da Agenda 2030. Temos que sensibilizar atores, implantar a governança, adequar metas globais e definir indicadores para avaliarmos quais são as políticas públicas mais necessárias ao cumprimento dos ODS. E o papel do governo federal é fundamental em todo o processo de fortalecimento da municipalização dos objetivos globais”, afirmou.

“É extremamente empolgante saber que tantos articuladores e articuladoras que trabalham diretamente com os territórios estão mobilizados e mobilizadas para a adoção dos ODS no nível local. Estamos juntos com o Nós Podemos desde 2004, primeiramente na jornada dos oito Objetivos do Milênio, e desde 2015 na disseminação dos ODS. O apoio de núcleos estaduais e regionais, promovido pelo movimento, é fundamental para colaborar com a nossa proposta de acelerar o alcance dos ODS em territórios e municípios”, destacou o diretor de país do PNUD, Didier Trebucq.

Nós Podemos

Fundado em 2004, o Movimento Nacional ODS Nós Podemos tem caráter apartidário, ecumênico e plural. É resultado da articulação de voluntários de diferentes setores da sociedade brasileira para promover a melhoria das condições de vida das pessoas na perspectiva do desenvolvimento sustentável no Brasil e em âmbito internacional. O movimento reúne diversos parceiros – empresas, governos, organizações não governamentais, instituições de ensino, associações e voluntários. Com atuação nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, o movimento tem 36 núcleos regionais e 132 núcleos municipais.