Mortes de civis no Afeganistão aumentam em 31%

O aumento de ataques insurgentes no Afeganistão ocasionou uma alta de 31% de mortes civis nos primeiros seis meses de 2010 comparado com o mesmo período de 2009, disse o Representante Especial do Secretário-Geral e líder da Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (UNAMA), Staffan de Mistura, durante uma coletiva de imprensa em Cabul.

Mortes de civis no Afeganistão aumentam em 31% devido a ataques insurgentes. Foto: ONUO aumento de ataques insurgentes no Afeganistão ocasionou uma alta de 31% de mortes civis nos primeiros seis meses de 2010 comparado com o mesmo período de 2009, disse o Representante Especial do Secretário-Geral e líder da Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (UNAMA), Staffan de Mistura, durante uma coletiva de imprensa em Cabul.

O número total de vítimas civis nos últimos seis meses é de 3.268, incluindo 1.271 mortos e 1.997 feridos. “O custo humano neste conflito desafortunadamente está aumentando”, disse Mistura. Do número total de vítimas, 2.477 são atribuídas a elementos anti-governo (AGEs), enquanto 386 são atribuídas a forças pró-governo. O número de crianças mortas ou feridas aumentou 55% conjuntamente com o aumento de 6% de vítimas mulheres.

A UNAMA identificou duas importantes mudanças que fizeram a aumentar os ataques aos civis. Primeiro, elementos anti-governo usaram explosivos maiores e mais sofisticados. Segundo, o número de civis assassinados e executados pelas AGEs aumentou em mais de 95% incluindo a execução pública de crianças.

“Esta intensificação de assassinatos e execuções reforçam a percepção dos civis afegãos de que cada vez mais eles estão se convertendo no principal alvo deste conflito”, disse Mistura. “O devastador impacto humano destes eventos sublinha que, nove anos após o início do conflito, medidas para proteger aos civis afegãos e minimizar o impacto do conflito nos direitos humanos básicos são mais urgentes do que nunca”, disse a Diretora de Direitos Humanos da UNAMA, Georgette Gagnon.