Missão do FIDA realiza avaliação do Projeto Paulo Freire desenvolvido no Ceará

De 4 a 8 de novembro, uma Missão de Avaliação e Acompanhamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA) se reuniu com técnicos e diretores da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) do Ceará para analisar os resultados obtidos com o Projeto Paulo Freire (PPF).

Executado pela SDA, o PPF é uma iniciativa que conta com recursos de investimento do FIDA a fim de diminuir a pobreza e alavancar o desenvolvimento sustentável nas localidades com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da região.

O Projeto Paulo Freire impulsiona, desde 2013, a produção sustentável e o aumento da renda a partir de atividades agrícolas e não agrícolas desenvolvidas pelos grupos prioritários do projeto: jovens, mulheres e povos tradicionais.

O Projeto Paulo Freire impulsiona, desde 2013, a produção sustentável e o aumento da renda em territórios do Ceará. Foto: FIDA | Irshad Khan.

O Projeto Paulo Freire impulsiona, desde 2013, a produção sustentável e o aumento da renda em territórios do Ceará. Foto: FIDA | Irshad Khan.

Com intuito de acompanhar e avaliar ações do Projeto Paulo Freire (PPF), o Governo do Ceará recebeu, entre segunda (4) e sexta-feira (8), a missão de apoio do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas.

Executado pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) do Ceará, a iniciativa conta com investimento do FIDA desde o Acordo firmado entre os dois organismos em 2013.

O intuito é reduzir a pobreza e elevar o padrão de vida de agricultores familiares de 31 municípios de diferentes territórios cearenses: Cariri; Sertão dos Inhamuns; Sertão dos Crateús; Sertão de Sobral; e Vales do Curu-Aracatiaçu.

Com foco prioritário nos jovens, mulheres e povos tradicionais, o PPF promove o desenvolvimento do capital social e humano em áreas com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da região, além de impulsionar a produção sustentável e o aumento da renda a partir de fontes agrícolas e não agrícolas.

Missão de Avaliação

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na abertura oficial da Missão (4), o Oficial de Programas do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) no país, Hardi Vieira; o Coordenador Técnico e de Desenvolvimento Rural, Emmanuel Bayle; e os diretores do projeto das áreas de Monitoramento e Avaliação, Rodrigo Dias, de Aquisições e Contratações, Lucianna Matte, e de Gerenciamento Financeiro, Danilo Pisani, foram recebidos pelo Secretário do Desenvolvimento Agrário, Francisco de Assis Diniz; pelo secretário executivo Wilson Brandão; e pela coordenadora da Unidade de Gerenciamento do Programa, Íris Tavares.

Segundo o secretário Rodrigo Diniz, a visita do grupo é importante para a continuidade do bom desempenho do programa.

“Queremos que o PPF credencie os agricultores destes 31 municípios para que com suas atividades no campo possam acessar qualquer linha de crédito devido à boa qualidade de seus projetos”, explicou.

De acordo com o Oficial de Programas do FIDA, Hardi Vieira, “a missão visa avaliar os impactos do Projeto iniciado em 2013, com ênfase nas atividades de resultado nas 600 comunidades assistidas, a partir de indicadores como renda, nutrição e outros”, avaliou.

Durante a abertura, os técnicos do FIDA e da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) assistiram a dois vídeos artesanais produzidos em territórios assistidos pelo Projeto Paulo Freire (PPF).

Os vídeos também foram exibidos no 11º Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA), realizado entre 4 e 7 de novembro na Universidade Federal de Sergipe (UFS), em Aracaju/SE.

Na terça-feira (5), segundo dia da missão, os integrantes do grupo se reuniram com entidades de Assistência Técnica Contínua (ATCs) que, em parceria com a SDA, assistem os agricultores dos 31 municípios com números menores do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Integrando a sociedade civil e impulsionando a saúde na região

No segundo dia (5), eles também se reuniram com representantes do Centro de Estudos e Assistência às Lutas do/a Trabalhador/a (CEALTRU); Centro de Estudos do Trabalhado e Assessoria ao Trabalhador (CETRA); Cáritas Diocesana de Crateús; Centro de Pesquisa e Assessoria Esplar (ESPLAR ); Instituto Antônio Conselheiro (IAC); Instituto Flor do Piqui; e ONG CACTUS.

Além disso, a equipe também teve um encontro com representantes da Escola de Saúde Pública do Ceará, que desenvolve o “Programa Paulo Freire + Saúde”.

O PPF+Saúde visa contribuir na formação de Agentes Comunitários de Saúde (ACS); Agentes de Combate às Endemias (ACEs); e profissionais do Projeto Paulo Freire para a aproximação de cada um desses atores sociais em seus respectivos territórios de atuação.

Sobre o Projeto Paulo Freire

O Projeto Paulo Freire (PPF) é uma execução da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) por meio do Acordo de Empréstimo nº I-882-BR/E-17-BR, do Governo do Estado do Ceará celebrado com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

O Projeto objetiva reduzir a pobreza e elevar o padrão de vida de agricultores familiares em condições de extrema pobreza e pobreza de 31 municípios cearenses, em comunidades rurais com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

O PPF promove o desenvolvimento do capital social e humano e da produção sustentável para aumento da renda a partir de fontes agrícolas e não agrícolas. No foco prioritário do Projeto estão os jovens, as mulheres e os povos tradicionais.

A área de atuação compreende uma extensão de aproximadamente 23.530 Km² e abrange 31 municípios de diferentes territórios – Cariri; Sertão dos Inhamuns; Sertão dos Crateús; Sertão de Sobral; e Litoral Oeste/Vales do Curu-Aracatiaçu.

O Projeto prevê ações em dois componentes:

Componente I – Desenvolvimento de Capacidades. Ações de Formação para acesso às políticas públicas, assessoria técnica, capacitação, mobilização e controle social, formação de jovens para atividades econômicas e acesso à terra, e qualificação dos assessores técnicos;

Componente II – Desenvolvimento Produtivo e Sustentabilidade Ambiental. Destinado a financiar os investimentos produtivos como estratégia de apoio a agricultura familiar com base nos princípios da convivência com o semiárido e agroecologia. A ação combina atividades de ambos os componentes através de uma abordagem participativa, permitindo que a demanda do público beneficiário seja a principal fonte de orientação.

Acesse às Cartilhas desenvolvidas pelo Projeto aqui.