Missão de inquérito sobre incidente com flotilha em Gaza parte para Turquia e Jordânia

A missão de inquérito do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que vai investigar o incidente com a frota de Gaza está visitando a Turquia e a Jordânia para entrevistar testemunhas e funcionários do governo.

Navio saindo da Turquia em direção a Gaza. Foto: ONU.A missão de inquérito do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que vai investigar o incidente com a frota de Gaza está visitando a Turquia e a Jordânia para entrevistar testemunhas e funcionários do governo. O grupo, independente e internacional, é composto por três peritos de alto nível. Técnicos e especialistas jurídicos acompanharão a missão, presidida pelo juiz Carlos T. Hudson-Phillips, ex-juiz do Tribunal Penal Internacional (TPI), na visita de duas semanas aos dois países.

Seus outros membros são Desmond de Silva, um ex-promotor-chefe do Tribunal Especial para Serra Leoa (TESL), e Shanthi Dairiam, membro da Força-Tarefa de Igualdade entre os Gêneros do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A missão passou duas semanas em Genebra (Suiça), onde elaborou seus termos de referência e manteve conversas com diplomatas, incluindo os embaixadores de Israel e Turquia. Na semana passada, eles entrevistaram testemunhas em Londres (Reino Unido) e em Genebra para recolher informações em primeira mão para avaliar os fatos sob a sua consideração.

Os 47 membros do Conselho de Direitos Humanos, sediado em Genebra, votaram em junho – com 32 votos a favor, três contra e nove abstenções – autorizar a missão para investigar o incidente com a frota, que havia partido da Turquia em direção a Faixa de Gaza. A missão deverá apresentar o seu relatório na próxima sessão do Conselho, em setembro.