Missão da ONU no Sudão do Sul lamenta morte de civil em área de proteção da Organização

“Qualquer ataque a um local de proteção de civis constitui um ataque direto contra as Nações Unidas e pode constituir um crime de guerra”, declarou a Missão das Nações no Sudão do Sul (UNMISS).

Soldados de paz da UNMISS em posto de guarda com vista para o local de proteção de civis em Juba. Foto: ONU/JC McIlwaine

Soldados de paz da UNMISS em posto de guarda com vista para o local de proteção de civis em Juba. Foto: ONU/JC McIlwaine

A Missão das Nações no Sudão do Sul (UNMISS) condenou veemente o tiro fatal contra uma pessoa internamente deslocada em um de seus locais de “proteção de civis”. Este é o segundo ataque do tipo a atingir o país africano e a Organização em menos de uma semana.

De acordo com comunicado de imprensa emitido pela Missão na manhã desta terça-feira (07), os funcionários da ONU que servem no complexo da Organização, em Bentiu, relataram ouvir disparos na noite de 5 de Julho, e encontraram o corpo de um homem fatalmente ferido nas costas.

A UNMISS explicou que de acordo com relatos de testemunhas dois homens armados em uniformes militares foram vistos no interior da zona de proteção e fugiram para a mata após o atentado. “Qualquer ataque a um local de proteção de civis constitui um ataque direto contra as Nações Unidas e pode constituir um crime de guerra”, declarou a Missão.