Missão da ONU no Líbano confirma morte de capacete-azul perto da fronteira com Israel

Incidentes na região controlada pela ONU constituem uma violação da resolução 1701 do Conselho de Segurança, que pôs fim ao conflito de 2006 entre Israel e as milícias do Hezbollah e que estipula o respeito à Linha Azul.

Cascos azuis no sul do Líbano. Foto: UNIFIL/Pasqual Gorriz

Cascos azuis no sul do Líbano. Foto: UNIFIL/Pasqual Gorriz

A Força Interina da ONU no Líbano (UNIFIL) confirmou, nesta quarta-feira (28), a morte de um dos membros da missão no país durante um incidente ocorrido na linha azul na fronteira com Israel. A causa da morte precisa ainda ser determinada e está sob investigação, de acordo com o comunicado divulgado pela UNIFIL.

Segundo a declaração, por volta das 11h30 da manhã foram detectados o lançamento de seis foguetes em direção de Israel provenientes de Wazzani, região na área de operações da UNIFIL. As Forças de Defesa de Israel (FDI) responderam à artilharia e durante o curso dos eventos, o cabo espanhol Francisco Javier Soria Toledo, que se encontrava em um posto da ONU perto do local de origem da disputa, ficou gravemente ferido e não resistiu.

A coordenadora especial da ONU para o Líbano, Sigrid Kaag, expressou sua preocupação sobre a grave deterioração da situação de segurança no sul do Líbano. A tarde, novos foguetes foram lançados em direção a Israel, com resposta imediata da FDI. Os 10 mil homens da Força de Paz da ONU no Líbano já reforçaram sua presença no terreno e intensificaram suas patrulhas nas áreas de operação em coordenação com as Forças Armadas Libanesas.

Esses incidentes constituem uma violação da resolução 1701 do Conselho de Segurança, que pôs fim ao conflito de 2006 entre Israel e as milícias do Hezbollah e que estipula o respeito à Linha Azul.