Missão da ONU lamenta ataque suicida em jogo de voleibol no Afeganistão

Ataque suicida no sudeste do país matou pelo menos 17 civis e feriu pelo menos 60, a maioria crianças.

Tadamichi Yamamoto, chefe interino da UNAMA, na província de Nangarhar. Foto: UNAMA/Fardin Waezi

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) condenou, nesta segunda-feira (28), o ataque suicida que aconteceu neste domingo (27) em um jogo de voleibol na província de Paktika, no sudeste do país, que matou pelo menos 17 civis e feriu pelo menos 60, a maioria crianças.

“Um ataque que tem como alvo deliberado um grupo de civis que jogam vôlei é um ato desprovido de humanidade e viola claramente o direito nacional e internacional”, disse o vice-representante especial do secretário-geral e chefe interino da UNAMA, Tadamichi Yamamoto.

“Este ataque reflete a intenção de destruir vidas e espalhar o terror entre a população civil.”

Um relatório da ONU divulgado em agosto afirma que os civis continuam sendo as maiores vitimas do conflito afegão. Dispositivos explosivos improvisados, juntamente com artefatos terrestres, ataques suicidas e assassinatos seletivos, representaram a grande maioria – 90% – de vítimas civis registradas no primeiro semestre de 2015.