Missão da ONU condena ataques do ISIL na Líbia e insta líbios a se unir contra o terrorismo

A UNSMIL destacou que é hora de os líbios chegarem a um acordo sobre um governo de unidade para enfrentar os desafios do país e unirem-se para enfrentar o grupo terrorista.

As ruas de Sirte foram as mais fortemente danificada depois de uma guerra de nove meses em 2011. Foto: IRIN / Heba Aly

As ruas de Sirte foram as mais fortemente danificada depois de uma guerra de nove meses em 2011. Foto: IRIN / Heba Aly

Condenando veementemente os ataques em Sirte por parte do Estado Islâmico do Iraque e o Levante (ISIL), incluindo relatos de bombardeio indiscriminado de bairros residenciais, a Missão das Nações Unidas de Apoio na Líbia (UNSMIL), destacou no sábado (15) que é “hora” de os líbios chegarem a um acordo sobre um governo de unidade para enfrentar os desafios do país e “unirem-se para enfrentar o flagelo” do grupo terrorista.

“Em um momento em que os líderes políticos-chave da Líbia se reuniam em Genebra para um diálogo para resolver a crise do país e enviar uma forte mensagem de unidade, o grupo terrorista mais uma vez agiu para impor o seu reinado de terror”, disse a UNSMIL em um comunicado.

A última rodada de conversas políticas patrocinada pela ONU terminou na cidade suíça e a UNSMIL relatou que os participantes “reiteraram sua convicção de que não pode haver alternativa à paz na Líbia fora deste processo de diálogo, que estabelece um marco para um acordo político abrangente obtido através de consenso.”

De acordo com a imprensa, a mais recente onda de violência irrompeu em Sirte na terça-feira (11) e continuou durante toda a semana, deixando dezenas de vítimas.