Missão da ONU condena ataques contra forças de segurança na Líbia

Ataques “brutais”, disse a missão, atingiram membros da Polícia Judiciária. Assassinatos de pessoal da polícia e do exército, bem como de manifestantes civis, tem se repetido no país.

Um dia agitado na rua Mizran, no centro de Trípoli, capital da Líbia. Foto: UNSMIL/Abbas Toumi

Um dia agitado na rua Mizran, no centro de Trípoli, capital da Líbia. Foto: UNSMIL/Abbas Toumi

Membros de várias entidades de segurança estão sendo alvos de violência na Líbia. O objetivo é minar os esforços para manter a paz e a construção de instituições de segurança no país, disse a missão da ONU na Líbia (UNSMIL) em um comunicado à imprensa nesta segunda-feira (12).

A Líbia, que vem passando por uma transição democrática desde a queda do regime do ex-líder Muamar Kadafi, há três anos, tem sido confrontada com a deterioração da situação da segurança.

A Missão afirmou estar “profundamente preocupada” com a persistente violência em todo o país, condenando o ataque “brutal” contra membros da Polícia Judiciária nos subúrbios de Trípoli, e os repetidos assassinatos de membros da polícia e do exercito, bem como de manifestantes civis em Bengazi.

“A UNSMIL apela às autoridades para que tomem uma posição firme e imediata contra os autores de tais crimes e ponham fim à ilegalidade”, afirmou a UNSMIL.