Missão da ONU condena ataque contra complexo em meio à violência no norte do Mali

O país tem sofrido com uma série de contratempos, desde o início de 2012, incluindo um golpe de Estado militar e a apreensão de seu território no norte da nação por radicais islâmicos.

Forças de paz da MINUSMA em patrulha no Mali. Foto: MINUSMA/Marco Dormino

Forças de paz da MINUSMA em patrulha no Mali. Foto: MINUSMA/Marco Dormino

A missão das Nações Unidas no Mali condenou veementemente um ataque contra um complexo residencial do seu pessoal militar em Bamako, capital do país, confirmou nesta quarta-feira (20) o porta-voz da Organização, Farhan Haq, em coletiva de imprensa em Nova York.

Segundo ele, um assaltante armado não identificado atirou e feriu um guarda de segurança local na terça-feira à noite durante uma tentativa de atear fogo a um veículo da ONU, estacionado fora do complexo. Duas granadas foram encontradas mais tarde no local.

A Missão da ONU de Estabilização Multidimensional Integrado (MINUSMA), salientou que os ataques contra pessoal da ONU e instalações é um crime grave e lembrou às autoridades do Mali que elas continuam a ser responsáveis pela segurança do pessoal da ONU.

Apesar de avanços no terreno, a situação no Mali permanece um desafio. O governo do país tem procurado restaurar a estabilidade e reconstrução na sequência de uma série de contratempos desde o início de 2012, incluindo um golpe de Estado militar, novos combates entre as forças governamentais e os rebeldes tuaregues, e a apreensão de seu território no norte do país por radicais islâmicos.