Missão da ONU afirma que mais 13 corpos foram encontrados na Síria

Todos estavam de mãos atadas para trás e alguns aparentemente foram baleados na cabeça a curta distância. Descoberta em Assukar acontece poucos dias depois do massacre de mais de 100 pessoas, incluindo crianças.

O Chefe da Missão de Supervisão das Nações Unidas na Síria (UNSMIS) afirmou hoje (30/05) que está “profundamente preocupado” depois da descoberta de mais 13 corpos na noite passada, poucos dias depois de observadores da ONU confirmarem o assassinato de mais de 100 homens, mulheres e crianças numa vila de Houla. O General Robert Mood pediu o fim da violência no país.

Observadores informaram que os 13 corpos foram encontrados na área de Assukar, 50 km a leste da cidade de Deir Ez-Zor. Todos os corpos estavam com as mãos atadas para trás e alguns aparentavam ter sido baleados na cabeça a curta distância.

O Enviado Especial Adjunto da ONU e da Liga dos Países Árabes para a Síria, Jean-Marie Guehenno, afirmou em Genebra, na Suíça, que é importante que os Estados-Membros e o Conselho de Direitos Humanos debatam a situação da Síria. “Particularmente o massacre de Houla, é importante que a verdade, os fatos sejam estabelecidos de forma que ninguém possa contestar”, declarou. “Isso é essencial.”

Para Guehenno, é preciso renovar o compromisso para cessar totalmente a violência. “O Governo da Síria precisa dar passos para convencer, eu diria, não apenas a comunidade internacional, mas, mais importante, o povo sírio de que está pronto para um novo rumo.”

Esta necessidade precisa ser demonstrada mediante gestos “concretos e significantes” de cessação da violência, assim como libertação dos detentos e de acesso humanitário.