Milhões de crianças na Somália são vacinadas contra sarampo em campanha da ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Mais de 1 milhão de crianças com idade entre 6 meses a 10 anos em Puntland e 4,2 milhões em toda a Somália participaram de uma campanha de vacinação de cinco dias contra o sarampo encerrada no domingo (7), informaram as Nações Unidas nesta segunda-feira (8).

A campanha foi conduzida por uma parceria entre Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Ministério da Saúde da Somália.

Mães e crianças aguardam na fila para receber vacinação contra sarampo em campo de refugiados de Baidoa, na Somália. Foto ONU (arquivo)

Mães e crianças aguardam na fila para receber vacinação contra sarampo em campo de refugiados de Baidoa, na Somália. Foto ONU (arquivo)

Mais de 1 milhão de crianças com idade entre 6 meses a 10 anos em Puntland e 4,2 milhões em toda a Somália participaram de uma campanha de vacinação de cinco dias contra o sarampo encerrada no domingo (7), informaram as Nações Unidas nesta segunda-feira (8).

“É uma prioridade da OMS (Organização Mundial da Saúde) continuar a apoiar o Ministério da Saúde do país e manter uma parceria próxima com as autoridades locais de saúde e parceiros para controlar surtos de doenças como sarampo e para garantir alta cobertura de vacinação para todas as crianças somalis”, disse Ghulam Popal, representante da OMS na Somália.

“É lamentável que casos de sarampo ainda sejam registrados enquanto há vacinas efetivas disponíveis”, acrescentou.

A campanha foi conduzida por uma parceria entre OMS, Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Ministério da Saúde da Somália.

Em 2017, em meio a uma emergência de seca, um total de 23 mil casos de suspeita de sarampo foram registrados — muito acima dos anos anteriores. Entre estes casos, 83% atingiram crianças com menos de dez anos.

Em resposta ao surto, duas campanhas de vacinação foram conduzidas em março e abril de 2017, atingindo 516,9 mil crianças com idade entre 9 meses a 5 anos.

“Junto com nossos parceiros, o UNICEF foi capaz de atingir ótimos resultados para crianças e famílias afetadas pela seca em 2017”, disse Jesper Moller, representante do UNICEF na Somália.

“No entanto, a crise está longe de acabar”, disse. “A ameaça da fome continua, assim como surtos de doenças como o sarampo.”

Durante a campanha, uma dose de Vitamina A foi administrada para crianças elegíveis junto com a vacina. Mobilizadores sociais e trabalhadores do setor de saúde apoiados por OMS e UNICEF encorajaram adultos que não estão totalmente imunizados, ou não têm certeza de seu status de imunidade, a serem vacinados.

“A única forma de proteger as crianças dessa doença mortífera é por meio de campanhas de vacinação em massa. E permaneceremos vigilantes em sustentar nossos esforços de emergência em 2018”, disse Moller.

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa transmitida por secreções de nariz, boca ou garganta de pessoas infectadas. Vacinações de rotina para crianças, combinadas com campanhas de imunização em massa em países com baixa cobertura, são estratégias essenciais de saúde pública para reduzir as mortes por sarampo, disse a OMS.


Mais notícias de:

Comente

comentários