Mianmar: ONU pede que autoridades garantam a segurança dos trabalhadores humanitários

A onda de violência no estado de Rakhine, em Mianmar – onde centenas de pessoas foram mortas e milhares desabrigadas – preocupa os trabalhadores humanitários.

Uma muçulmana Rohingya e seu filho em um acampamento improvisado fora de Sittwe, no oeste de Rakhine, no Mianmar. Foto: IRIN

Uma muçulmana Rohingya e seu filho em um acampamento improvisado fora de Sittwe, no oeste de Rakhine, no Mianmar. Foto: IRIN

Preocupado com as instalações das Nações Unidas e organizações não governamentais na cidade de Sittwe, no estado de Rakhine, em Mianmar, um representante da ONU pediu às autoridades para garantir a segurança dos trabalhadores humanitários, nesta sexta-feira (28), por conta da manifestação de alguns grupos não identificados.

“Apelo ao governo para garantir a proteção da comunidade humanitária e seu desenvolvimento no estado de Rakhine”, disse em comunicado Toily Kurbanov, coordenador residente humanitário da ONU em Mianmar. “Eu insisto que as autoridades garantam uma resposta adequada ao caso e que os agressores sejam responsabilizados.”

Ele afirmou que a ONU e seus parceiros continuam determinados a prestar assistência humanitária para salvar vidas, reiterando sua preocupação com a possível redução do número de trabalhadores humanitários, que pode afetar negativamente a proteção de pessoas vulneráveis.

O estado de Rakhine tem sido palco de ondas de violência entre budistas e muçulmanos Rohingya, onde centenas de pessoas foram mortas e milhares estão desabrigadas.

A preocupação sobre os ataques em Sittwe foi desencadeada, após um trabalhador humanitário ter sua bandeira budista desrespeitada.